Afinal, o leite faz bem ou faz mal?

 

Atualmente, especialistas debatem a importância do consumo de leite na alimentação. Alguns alegam que o ser humano é a única espécie que consome leite após o desmame, que o leite de caixinha contém hormônios e antibióticos prejudiciais a saúde e que seu consumo pode favorecer a incidência de resfriados e doenças respiratórias. Por outro lado, outros defendem o consumo moderado do produto e acreditam que as proteínas e micronutrientes encontrados no leite auxiliam em diversas funções no organismo, promovendo saúde.

Mas afinal, em quem devemos acreditar?

De fato, o ser humano é a única espécie que toma leite na vida adulta, porém também são os únicos capazes de plantar e colher seu próprio alimento, de desenvolver máquinas e fazer outras diversas atividades. Outros mamíferos adultos (como os gatos, por exemplo) também gostam de leite, mas não tomam, pois não conseguem abrir a geladeira e pegar a caixinha para obtê-lo.

A idéia de que o leite de vaca contém hormônios e antibióticos prejudiciais a saúde também é controversa, pois análises realizadas em leites de diversas marcas mostraram que uma parcela pouco significativa apresentava em seus produtos quantidades de antibióticos acima do limite estabelecido.

Em um copo de leite (200mL) há de 8 a 10g de carboidrato, sendo o principal, a lactose. A lactose é encontrada no leite de todas as espécies e quando ocorre à má absorção deste carboidrato, podemos dizer que o individuo possui intolerância a lactose.

Essa intolerância pode aparecer em diversas fases da vida nos indivíduos que possuem níveis insuficientes da enzima lactase, responsável por digerir a lactose.

Para reduzir ou eliminar os sintomas causados pelo consumo de leite e seus derivados, indivíduos que possuem intolerância devem excluir estes produtos da sua alimentação ou substituí-los por produtos comumente encontrados no mercado atual, os famosos lacfree (sem lactose).

Pessoas que não possuem intolerância a lactose e nem alergia a proteína do leite não precisam excluir o leite de sua dieta. O consumo deve ser moderado e havendo necessidade de perda de peso, deve-se consumir preferencialmente o leite desnatado e seus derivados na versão light.

Se você não gosta de lácteos ou possui uma filosofia vegana, não tem problema. Escolha outros alimentos que os substituam e que proporcionem boas quantidades de cálcio para o organismo como: brócolis, tofu, espinafre, linhaça, aveia, entre outros. Estes vão te auxiliar na manutenção de uma dieta mais equilibrada em micronutrientes importantes sem precisar ingerir leite e derivados.

Muito cuidado com modismos alimentares. Nenhum alimento sozinho é imprescindível na alimentação, mas antes de excluir um alimento ou grupo de alimentos de sua rotina é necessário avaliar a real necessidade dessa conduta.

Ana Beatriz Nicoletti é Nutricionista e escreve no Acontece Botucatu