PT de Botucatu elege seu novo presidente

O PT de Botucatu já tem novo presidente. Everaldo Rocha, da chapa “Construindo uma Nova Democracia” apoiada por algumas personalidades ilustres do PT, como Waldemar Pereira de Pinho e Mário Ielo, foi eleito com 115 votos e vai administrar o partido pelos próximos quatro anos. Já Carlos Camacho, que encabeçou a chapa “Resistência Democrática”, contando com o apoio de outros pesos pesados do PT, como Lelo Pagani, Selma Gonçalves e Luiz Rúbio, teve 65 votos. A eleição foi realizada neste domingo, dia 10.

Trajetória de Everaldo no PT começou em 1992, quando se filiou aos 18 anos, participando da manifestação popular que resultou no impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello que tomaram as ruas das principais cidades do país e trabalhou de forma voluntária na sede do PT e auxiliou a consolidar o partido na Cidade.

Em 2000 disputou uma vaga de vereador obtendo 325 votos e ajudou o partido a eleger Mário Ielo e Valdemar Pinho como prefeito e vice-prefeito. “Uma gestão que mudou nossa cidade, desacreditada, endividada e sem investimentos. Ielo assumiu e mudou a cara da cidade com respeito pelo dinheiro público e participação popular, priorizando a Saúde, Educação e Assistência Social. Fomos reeleitos e tivemos uma aprovação de 80%. Na reeleição de Ielo e Pinho em 2004, novamente fui candidato a vereador e obtive 585 votos, ficando na segunda suplência de nossa coligação, faltou muito pouco”, lembra.

Seu mais recente trabalho no PT foi coordenar a campanha eleitoral para prefeito de Valdemar Pinho, em 2012, que não foi eleito. “Mas sempre nos mantivemos fortes na Câmara Municipal. Nestes seis anos de gestão de Carlos Ramos, colaborei com a gestão financeira e na secretaria do partido e vou dar continuidade a esse trabalho”, adiantou.

Carlos Ramos que administrou o partido nos últimos anos e teve sua última atividade como presidente do PT a coordenação das eleições internas, diz que o partido entra num período de transição e a posse deve ser marcada para o começo do ano que vem. “Agradeço a todos os filiados do partido que me deram a oportunidade de ser o presidente de todos os petistas, a maior experiência da minha vida. Entendo que as criticas dos últimos dias sejam motivadas pelo clima eleitoral (nada dói mais que o fogo amigo), fui eleito, reeleito e elegi meu sucessor, isso é trabalho e prova do reconhecimento do trabalho feito”, destacou.