Pagani declara-se candidato a prefeito de Botucatu

O vereador Lelo Pagani que está deixando o PT e poderá fundar  o REDE ,  declarou que será candidato a prefeito de Botucatu nas eleições do ano que vem.  Ele faz parte de uma frente que busca se consolidar como mais uma frente política para ocupar a vaga deixada pelo atual prefeito João Cury Neto (PSDB), que não poderá ser candidato a reeleição.

Ele ressalta que em Botucatu dois grupos políticos estão governando a cidade por 16 anos seguidos, ou seja, oito anos com Mário Ielo (PT) e João Cury (PSDB) que estará completando o seu segundo mandato no ano que vem,  havendo uma polarização entre os dois partidos.  Disse que por trás de sua candidatura está um grupo que quer  promover mudanças na maneira de fazer política. Foi esse grupo, segundo Pagani, que o autorizou a dizer que é o candidato a prefeito.

“Acredito que é preciso mudar, renovar a política na cidade. É assim que pensa esse grupo que tem pessoas de vários segmentos sociais.  Temos uma geração que não está tendo oportunidade de  discutir os problemas da cidade, debater prioridades. Não estou dizendo que a experiência não seja importante, pelo contrário, mas precisamos  dar voz a juventude”, disse Pagani.

O agora pré-candidato a prefeito disse que sua decisão em deixar o PT foi em razão da falta de espaço político. “Foi bom enquanto durou.  Tenho muitos amigos no PT e muitos que deixaram o PT. O Ielo (Mário, ex-prefeito) me colocou uma camisa de força e eu não teria espaço  para desenvolver meus projetos. Então, seria uma incoerência de minha parte me unir a ele. Por isso estou saindo (do partido)”, disse.

O caminho agora, de acordo com Pagani, é aglutinar forças para se juntar ao grupo que está sendo formado. “Nossa proposta é diferente e vamos conversar com grupos que não querem mais essa mesmice na política que está desacreditada. É preciso mudar e esse é o nosso desafio”, disse Pagani, lembrando que nas duas últimas eleições que disputou obteve 18.752 para deputado estadual (em 2010) e  1.989 votos para vereador (2012).