Dor anterior no joelho

 

Você provavelmente já sentiu dor no joelho ou conhece alguém que te relatou isso, o que não é raro dentro do esporte, seja ele qual for.

São muitas as causas de dor anterior nos joelhos, sendo as mais comuns por:

  • Desequilíbrio da musculatura da coxa, tanto anterior (quadríceps), quanto posterior (Isquiotibiais);
  • Diminuição da flexibilidade (encurtamento muscular, mais comum de Isquiotibiais);
  • Fatores anatômicos;
  • Técnicas inadequadas de treinamento;
  • Equipamentos inadequados;
  • “Overuse” (excesso de uso);
  • Fatores externos (traumas).

Esses fatores podem levar ao desenvolvimento de algumas patologias de joelho, que precisam ser avaliadas e tratadas corretamente, para evitar que retornem.

É importante citar também que a dor no joelho pode ser ocasionada por desvio postural. Um desalinhamento de quadril, ou até mesmo um “pé chato”, pode alterar a mecânica de movimento da marcha e do joelho, sobrecarregando-o e gerando dor, e/ou até a uma possível lesão.

Dos casos de dor anterior no joelho de esportistas por causa não traumática, o número 1 é a TENDINITE PATELAR ou JOELHO DE SALTADOR . O maior motivo da tendinite é o “overuse”, normalmente em conjunto com o desequilíbrio muscular, levando ao desuso e fraqueza muscular.

A CONDROMALACIA PATELAR ou JOELHO DE CORREDOR é outra causa comum de dor nos joelhos. Ela ocorre pelo desgaste/amolecimento da cartilagem que recobre a parte interna da patela, na maioria das vezes por fatores anatômicos, onde há um aumento de contato entre a patela e o fêmur. A dor é bastante comum ao agachar e subir e descer escadas.

O que se pode fazer de imediato quanto a dores no joelho é a aplicação de gelo. O gelo auxilia na analgesia e na diminuição de edema/inchaço quando apresentado. A aplicação de gelo pode ser feita de 20 a 30 minutos e não deve colocar o gelo em contato direto com a pele, recubra com uma toalha molhada ou saco plástico. Depois de feito isso, procure um médico ortopedista, que poderá diagnosticar o motivo da dor, e te encaminhará a um fisioterapeuta para o tratamento.

O tratamento fisioterápico apresenta um leque imenso de recursos para diminuição das dores e evitar que retornem. Como recursos de eletroterapia para analgesia e diminuição do quadro inflamatório, temos o Ultrassom, o Laser Terapêutico de Baixa Intensidade e o TENS, o famoso “choquinho”. Esses aparelhos auxiliam muito o tratamento, acelerando o processo anti-inflamatório e de regeneração tecidual, diminuindo as dores, encurtando o tempo de tratamento e de retorno do paciente para suas atividades.

Reequilibrar a musculatura estabilizadora de joelho com fortalecimento e alongamentos é o próximo passo depois de diminuir a dor e o quadro inflamatório para não ter recidivas.

Os tratamentos são diferentes para cada patologia, que tem suas particularidades e cuidados. No caso da tendinite, os exercícios excêntricos (realizados durante o alongamento do musculo) se mostram muito eficientes na reabilitação. Já no caso da Condromalácia Patelar os cuidados são com a angulação da articulação do joelho durante a realização do exercício.

O fortalecimento dos Glúteos Máximo e Médio é fundamental para estabilizar a articulação do joelho, corrigindo padrões de marcha e diminuindo as sobrecargas. São músculos pouco trabalhados, porém muito importantes. Exercícios de extensão, abdução e rotação lateral de quadril são os que ativam e fortalecem os Glúteos, e devem ser feitos tanto de forma isolada quanto de forma funcional.

Mas trabalhar só os Glúteos não é a solução para as dores, devemos fortalecer flexores e extensores de joelho e alongar os mesmos para obtermos os melhores resultados. No caso de reabilitação de atletas, é importante realizar os exercícios de forma funcional e simulando os gestos esportivos, para ensinar a ativação da musculatura no momento certo do movimento e diminuir alguns vícios que os esportistas costumam apresentar.

É muito importante o tratamento feito por um profissional qualificado que planeja a conduta de forma especifica para cada caso, trazendo melhores resultados para o paciente.

Referências:
Cohen, Moisés. Lesões nos esportes: diagnóstico, prevenção, tratamento. Revinter, 2003.
Kisner, Carolyn, and Lynn Allen Colby. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. Manole, 2009.
Colaboração – Rodrigo Artese Barros