Presidente da Câmara indaga acúmulo de lixo em ruas

O presidente da Câmara Municipal de Botucatu, vereador Ednei Lazaro da Costa Carreira (PSB) abordou um polêmico tema durante a última sessão ordinária, realizada na última segunda-feira. Em um de seus requerimentos, o legislador questionou a atuação da empresa responsável pela coleta de lixos no município, pelo fato de que a mesma tem acumulado os sacos de lixo em diversos pontos das ruas antes de realizar a coleta.

A reclamação partiu de munícipes, que procuraram o vereador na Casa de Leis para explicarem os transtornos da prática. “Ao que tudo indica, os coletores de Botucatu adotaram um novo critério de amontoar todos os sacos de lixo de um determinado quarteirão em um único ponto. Creio que seja para agilizar o trabalho, mas tem sido um procedimento que não ganhou a aprovação de quem tem o material acumulado em frente sua residência ou ponto comercial”, explica Carreira.

De acordo com o vereador, esse caso pode ser facilmente comprovado em qualquer dia da semana. “Isso está acontecendo nos quatro cantos da cidade. Qualquer um pode observar esse lixo acumulado, pois eles estão em quase todos os quarteirões. A partir das 18 horas em diante já podem ser vistos os sacos amontoados. Por vezes, esse lixo só vai ser coletado durante a madrugada”, justifica.

O principal problema do acumulo, está no material que fica no local depois da coleta. “Nós sabemos que a obrigação dos coletores é retirar o lixo que está dentro dos sacos e em diversos casos, carros ou animais acabam rasgando alguns sacos em busca de alimentos e esse material revirado é deixado de lado, no chão, quase sempre em frente a uma residência que na maioria das vezes, possui sua lixeira particular e isso tem incomodado bastante os moradores”, diz Carreira.

O pedido é finalizado com um destaque para a necessidade de existir uma reavaliação dos novos métodos de coleta adotados pela empresa responsável pela limpeza pública de Botucatu. O documento foi encaminhado ao prefeito João Cury e solicita que o mesmo questione a secretaria municipal e a empresa responsáveis pelo serviço.