Jornal cita Deputado Fernando Cury em suposta ligação com lobista do escândalo da merenda

Delegado responsável pelo caso desmente e diz que parlamentar não é investigado

 

O jornal Estado de São Paulo traz em suas versões impressa e online desta sexta, 12, uma matéria que cita o Deputado estadual Fernando Cury (PPS) em um suposto grampo telefônico nas investigações da operação Alba Branca, que investiga um esquema de corrupção e superfaturamento na venda de produtos agrícolas para merenda de escolas municipais e estaduais de São Paulo. 

 

O escândalo vem envolvendo algumas pastas da gestão Geraldo Alckmin, bem como figuras políticas importantes como o presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), o ex-chefe de gabinete da Secretaria Estadual da Educação Fernando Padula, o secretário de Logística e Transporte, Duarte Nogueira (PSDB), dentre outros, como supostos beneficiários de propina. Todos negam as acusações.

 

Segundo a reportagem do Estado, Fernando Cury teria mantido contato o lobista Marcel Ferreira Júlio, apontado como operador da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf) no esquema que fraudou contratos de fornecimento de merenda escolar em pelo menos 22 municípios paulistas.

 

Diz a matéria, que integrantes do esquema foram à secretaria de Agricultura no dia 16 de dezembro de 2015 acompanhados do deputado estadual, cuja voz teria sido gravada em um dos grampos após o parlamentar usar o celular de Marcel. O deputado Fernando Cury nega veementemente qualquer ligação com o lobista. 

 

Em nota enviada ao Acontece, o parlamentar diz que não é alvo da investigação. Na tarde desta quinta-feira, 11, ele foi até a cidade de Bebedouro, onde foi recebido pelo delegado Mário José Gonçalves, que preside o inquérito. Foi expedida uma certidão atestando que o deputado não é investigado no Inquérito Policial 105/15 do qual culminou a Operação Alba Branca. 

 

Confira a nota na integra do Deputado Fernando Cury

 

Após questionamentos da imprensa sobre as relações que poderia manter com pessoas citadas pela Operação Alba Branca, o deputado estadual Fernando Cury esclarece que não é alvo da referida investigação. Interessado no esclarecimento das circunstâncias em que seu nome foi citado no curso das apurações, o parlamentar deslocou-se até o município de Bebedouro, na tarde desta quinta-feira, 11 de fevereiro, sendo recebido pelo delegado Mário José Gonçalves, que preside o inquérito.


Na oportunidade foi expedida uma certidão atestando que o deputado não é investigado no Inquérito Policial 105/15 do qual culminou a Operação Alba Branca. Também foi esclarecido pelo delegado que o assunto tratado durante uma conversa telefônica entre investigados, em que teria surgido o nome do parlamentar, não tem nenhuma relação com os fatos apurados.


Por ter a Agricultura como uma de suas principais bandeiras, constantemente lideranças e representantes de entidades ligados ao setor procuram o gabinete do deputado. Quanto ao questionamento sobre sua presença em uma reunião na Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, com a presença de um dos investigados pela Operação Alba Branca, o deputado Fernando Cury nega ter participado de qualquer encontro. Para comprovar sua afirmação, o parlamentar já solicitou oficialmente o registro de presenças do dia 15 de dezembro de 2015, data em que a referida reunião teria ocorrido.

O deputado se colocou à disposição para eventuais esclarecimentos, mas o delegado que preside o inquérito disse não ser necessário, visto que seu nome não consta na lista de parlamentares sob investigação, documento este já encaminhado aos órgãos competentes.


Empenhado no prosseguimento das apurações, o deputado Fernando Cury assinará a proposta de abertura de uma CPI para investigar o suposto esquema de fraudes na compra de produtos agrícolas destinados à merenda escolar.

 

Deputado Estadual Fernando Cury.