Estudo visa criação do Polo Moveleiro em Botucatu

Em audiência reservada com o vice-governador de São Paulo e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França, realizada no Palácio dos Bandeirantes esta semana, o prefeito de Botucatu, João Cury e o deputado estadual Fernando Cury conseguiram a liberação de recursos de cerca de R$ 300 mil para contratação de um estudo de viabilidade econômica, financeira e operacional voltado à criação de um polo moveleiro no município.

Também participaram da reunião, o dirigente do PSB de Botucatu, Carlos Malagutte, que assessora o deputado Fernando Cury; o secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Carlos Alberto Costa, além de outras lideranças locais. A possibilidade de criação de um Arranjo Produtivo Local (APL) que integre os agentes dessa importante cadeia produtiva e permita a instalação de indústrias de móveis na cidade é um tema que há mais de 15 anos é levantado por diversos setores da sociedade, mas que carece de um estudo detalhado. Com os recursos autorizados pelo Governo do Estado, será possível a contratação de especialistas que por meio de levantamento de dados e informações, comprovarão ou não a viabilidade de criação de um polo moveleiro em Botucatu.

“Na região de Botucatu, em um raio de cem quilômetros, temos quatro indústrias que têm a madeira como matéria-prima principal e cerca de setenta por cento das florestas sustentáveis em nossa macrorregião. Além de um exército de mão de obra, que devidamente qualificada, poderá trabalhar nesse segmento. Esses fatores são fundamentais para que seja criada uma estrutura. Caso Botucatu tenha seu polo moveleiro, muitas outras empresas que compõem essa cadeia produtiva seriam atraídas para o município, gerando emprego, renda e desenvolvimento para nossa população. Além disso, vai beneficiar os pequenos e médios produtores rurais que terão novas oportunidades de negócio”, ressalta o deputado Fernando Cury.
 

Parceria

O prefeito João Cury lembrou que de tempos em tempos – principalmente em períodos eleitorais – sempre vem à tona a discussão sobre a vocação da cidade para abrigar indústrias que transformam madeira em móveis. “Se temos na região a floresta que nos dá a matéria prima e parte da indústria que transforma essa matéria prima com a Duratex, a Eucatex, a Luwart é natural que tenhamos a ambição de ter a terceira fase desse processo que é a transformação de painéis em móveis. Mas precisamos sair de uma simples ideia para ter certeza. Por isso é importante construir consenso em torno da contratação de um projeto que será feito por especialistas na área moveleira. Num momento de crise conseguir trezentos mil reais para fazer um projeto, um estudo de viabilidade econômica, é algo a ser comemorado”, avalia.
 

Atuação

Carlos Malagutte, dirigente do PSB de Botucatu e assessor do deputado Fernando Cury, atuou diretamente para a liberação dos recursos que permitirão o estudo de viabilidade do projeto do Polo Moveleiro. Seu relacionamento direto com o vice-governador Márcio França é mais uma porta que se abre para que a cidade receba uma atenção especial do Governo do Estado no momento de discutir projetos de interesse público.

“Os olhos do governo estão voltados para a nossa região, em especial para Botucatu. O vice-governador Marcio França entendeu esse momento positivo e de grande transformação que o município atravessa e de pronto acolheu nossa ideia, vindo sonhar esse sonho com a gente. Hoje estamos transformando energia, trabalho, dedicação e sonho em realidade. Isso vai mudar e transformar a vida da população de Botucatu. Hoje me sinto extremamente honrado por isso”, disse.
 

Apoio

O vice-governador Márcio França, que comanda a secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, apoia a iniciativa de Botucatu por entender que está diretamente ligada a uma vocação que a cidade já demonstra há décadas, ligada a indústria da madeira.

“A região, em especial Botucatu, já tem uma vocação para essa linha. A presença do deputado Fernando Cury, parlamentar que representa a região, junto com o prefeito João Cury, apostando nesse projeto é importante, já que estamos tratando de desenvolvimento e da geração de empregos, dentro da vocação da cidade. Estamos autorizando os recursos para os estudos e quem sabe rapidamente passarmos para fase seguinte que é atração de empresas novas para se instalarem na cidade”, declara.

Segundo ele, apesar da crise econômica que toma conta do país, o Estado de São Paulo fechou 2015 com a abertura de 240 mil novas empresas e crescimento superior a 120% na instalação de grandes empresas. “Não se trata de nadar contra a maré. É enxergar o espaço onde você consegue nadar com menos correnteza contrária. São Paulo tem feito isso e Botucatu tem vocação para seguir nessa linha já que tem bons gestores públicos”, conclui.