Botucatu marcará presença na Marcha Contra a Corrupção

A cidade de Botucatu estará participando do Movimento Brasil Contra a Corrupção e está convocando a população para participar do manifesto que acontece na manhã deste sábado (21) – Dia de Tiradentes – a partir das 11 horas. De acordo com o cronograma estabelecido os manifestantes irão se concentrar na Praça do Largo São José (em frente a Associação Atlética Botucatuense – AAB) e marcharão pela Avenida Dom Lúcio até a Praça da Catedral. Serão permitidas bandeiras, máscaras, apitos, narizes de palhaço, faixas de protesto contra a corrupção, entre outros.

“Temos como bandeira defender o voto parlamentar aberto, bem como lutar para tornar a corrupção um crime hediondo. A aprovação da “ficha limpa” comprovou que somente a participação popular poderá mudar o Brasil. A marcha terá cunho pacífico e acontece em outras regiões do País”, disse Adilson Olivatto, um dos principais coordenadores desse evento em Botucatu.

A marcha acontece em meio a grande polêmica que os deputados e senadores do Congresso Nacional estão vivendo com a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que irá investigar o envolvimento de políticos com o contraventor Carlinhos Cachoeira e o desfecho do “Escândalo do Mensalão” que há vários anos ocupa espaço na pauta política e jurídica do país, mas ainda não foi julgado.

“É necessário mobilizar a sociedade, por todos os meios democráticos, inclusive pelas redes sociais da Internet, para que haja uma basta na corrupção que se assolou do País. Vamos protestar, exercer nossos direitos e chamar a atenção”, colocou Olivetto.

Vale lembrar que foi com a pressão popular que se criou a CPI do PC (Paulo César Farias), durante o governo de Fernando Collor – embora a situação do governo no Congresso fosse desconfortável, ao contrário de dominante como é hoje – sofreu a pressão social, suscitada pela mídia e por fatos inesperados (uma entrevista de Pedro Collor, irmão do então presidente e outra do motorista Eriberto França). E resultou na renúncia do presidente para escapar ao impeachment, o que não evitou que o Senado, mesmo passando por cima da Constituição, lhe aplicasse a pena de suspensão de direitos políticos.

Também foi sob forte pressão popular que a CPI dos Correios fugiu aos controles e desvendou o “Escândalo do Mensalão”. Para os manifestantes, não é por acaso, evidentemente, que entre as cinco bandeiras da Marcha Contra a Corrupção está o “Julgamento do Mensalão”. Porque importa não permitir que o Caso Cachoeira desvie o foco desse processo.