Acidente por excesso de velocidade é debatido na Câmara Municipal

O líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Reinaldinho (PR), é autor de uma propositura aprovada pelo demais parlamentares da Casa, solicitando ? Empresa Auto Ônibus Botucatu (EAOB) a realização de orientação aos motoristas condutores dos veículos utilizados no transporte coletivo urbano da Cidade, no tocante aos riscos advindos do excesso de velocidade.

“A medida é pertinente em função da existência de reclamações de munícipes no sentido de que alguns dos referidos motoristas estariam trafegando em excesso de velocidade pelas vias públicas da Cidade, colocando passageiros e pedestres sob risco de sérios acidentes”, coloca Reinaldinho, que aguarda o posicionamento da empresa citada.

Nessa mesma linha de raciocínio, o vereador bombeiros Tavares (DEM) entende que para conter excesso de velocidade dos ônibus e carros de passeio será necessário que a Prefeitura Municipal estude a possibilidade de instalar dispositivo para controle do trânsito e redução da velocidade em diferentes pontos da cidade.

“Hoje o número de veículos em Botucatu é acentuado e grande parte dos condutores não respeitam a velocidade compatível ? via. Por isso, elaboramos esse requerimento para que medidas sejam tomadas com a finalidade de se evitar acidentes”, frisou Tavares.

{n}Estatísticas da PM{/n}

Em média, acontece em Botucatu oito acidentes de trânsito todos os dias, de acordo com dados estatísticos da Polícia Militar. Para o major Marcelo Oliveira, coordenador operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), a maioria dos acidentes é ocasionada em razão da imprudência e imperícia dos condutores de veículos, principalmente, em cruzamento de vias. Hoje a Ciretran tem cadastrado algo em torno de 70 mil veículos. Isso significa que existe, aproximadamente, um veículo para cada dois habitantes da cidade.

“Nós procuramos minimizar o número de acidentes com campanhas educativas, bloqueios policiais, além de um trabalho sincronizado da PM com o Departamento de Engenharia e Tráfego (DET), na colocação de placas de sinalização em pontos estratégicos e conflitantes. Mas, além disso, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores para que obedeçam as placas sinalizadoras e respeitem a lei vigente”, frisou Marcelo.

Alerta o major da PM que, de uma maneira geral, o erro humano é responsável por mais de 90 % dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia.