Agentes de segurança flagram drogas no meio da comida e em peças de roupas

Visitantes também foram surpreendidos com celulares e anotações suspeitas

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que, no último final de semana (dias 13 e 14), agentes de segurança flagraram visitantes tentando entrar com drogas, celulares e anotações suspeitas em presídios abrangidos pela Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste (CRN) do Estado. Em um dos casos, os funcionários encontraram porções de maconha e cocaína espalhadas no meio de comida armazenada em vasilhas plásticas. Em outros registros, as mulheres esconderam entorpecente e anotações suspeitas em peças de roupa – sutiã e forro de calcinha.

Nos flagrantes envolvendo drogas, a Polícia Militar (PM) foi acionada para registrar boletim de ocorrência. Também foi aberto procedimento interno para apurar o envolvimento dos presos que receberiam os materiais ilícitos nas unidades prisionais.

Vale destacar que, mesmo com a ampla divulgação na mídia das crescentes apreensões em todo Estado de São Paulo, visitantes seguem tentando burlar as revistas, sem sucesso, graças à perícia de agentes penitenciários aliada à tecnologia dos scanners corporais.

Penitenciária ‘Valentim Alves da Silva’ de Álvaro de Carvalho

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária “Valentim Alves da Silva” de Álvaro de Carvalho com 27 invólucros (68 gramas) de maconha e uma porção (17 gramas) de cocaína camuflados na comida, por volta das 9h30 de domingo (dia 14).

Durante a inspeção realizada em equipamento de raio-X, os agentes de segurança perceberam que havia algo suspeito em duas vasilhas plásticas contendo alimento que a visitante entregaria para o companheiro preso.

Embaladas em saquinhos plásticos, as porções das drogas foram misturadas no meio de arroz, macarrão, carne e batata. Diante do flagrante, a mulher foi encaminhada à delegacia da cidade para o registro de boletim de ocorrência.

CPP I ‘Dr. Alberto Brocchieri’ de Bauru

Uma mulher foi flagrada tentando entrar no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) I “Dr. Alberto Brocchieri” de Bauru com um minicelular escondido em sua vagina, durante procedimento de revista pelo escâner corporal.

O flagrante ocorreu por volta das 10h de domingo (dia 14). Questionada, a visitante negou a irregularidade e, portanto, foi encaminhada ao Pronto-Socorro Central (PSC) da cidade, onde exames comprovaram que havia objeto escondido em sua genitália.

A mulher alegou que entregaria o aparelho ao irmão preso, para o pagamento de uma dívida dele com outros detentos. Ela foi liberada após registro de ocorrência no Plantão Policial de Bauru.

Penitenciária de Franca

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária de Franca com maconha escondida em seu ânus, durante procedimento de revista pelo escâner corporal, por volta das 10h de domingo (dia 14).

Após ser descoberta, a visitante foi conduzida até uma sala reservada e, na presença de agentes femininas, retirou de seu corpo a porção da droga – embalada em fita adesiva.

Ao ser indagada, a mulher disse que o entorpecente teria sido solicitado pelo companheiro preso, que pretendia comercializá-lo na unidade. Ela alegou, ainda, que receberia R$ 100,00 pelo “serviço”.

A visitante foi encaminhada à delegacia da cidade para o registro de um boletim de ocorrência.

Penitenciária de Marília

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária de Marília com uma porção de cocaína escondida no forro da calcinha. A peça de roupa, contudo, estava solta dentro da calça e nela havia um saco plástico contendo a droga.

O flagrante ocorreu por volta das 9h30 de sábado (dia 13), durante procedimento de revista pelo escâner corporal. Questionada, ela disse que faria uso da droga com o marido preso durante a visitação.

Em seguida, a visitante tomou a porção de cocaína da mão da agente de segurança e a colocou na boca, dizendo que iria engolir a droga, que contabilizou peso total de 16 gramas.

Ela ficou por quase duas horas ameaçando ingerir o entorpecente, até que concordou em entregá-lo aos funcionários. A mulher foi presa em flagrante e passaria por audiência de custódia.
Penitenciária II ‘Luiz Gonzaga Vieira’ de Pirajuí

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária II “Luiz Gonzaga Vieira” de Pirajuí com celular e chip escondidos na sacola de roupas infantis da filha.

A apreensão ocorreu por volta das 9h30 de domingo (dia 14), durante procedimento de revista em equipamento de raio-X. O telefone móvel foi apreendido e seria entregue à Polícia Civil para investigação.

Penitenciária de Ribeirão Preto

A Penitenciária de Ribeirão Preto registrou duas apreensões no domingo (dia 14). Uma delas ocorreu por volta das 9h50, quando uma mulher foi flagrada tentando entrar na unidade prisional com três porções de maconha escondidas em seu ânus.

O outro flagrante se deu ao meio-dia. Uma visitante escondeu um invólucro de maconha em sua vagina. Em ambos os casos, a dupla foi descoberta durante procedimento de revista pelo escâner corporal.

Em sala reservada e na presença de agentes femininas, as duas concordaram em retirar a droga de seus corpos. Elas foram encaminhadas à delegacia para o registro de boletim de ocorrência.

Penitenciária I de Serra Azul

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária I de Serra Azul com três porções de maconha e anotações suspeitas sob o sutiã (top), durante procedimento de revista pelo escâner corporal.

O flagrante ocorreu por volta das 10h de domingo (dia 14). Questionada pelos funcionários da unidade, a visitante disse que a droga seria para uso dela e do marido preso durante a visitação.

Sobre as anotações – um bilhete e um extrato bancário -, a mulher alegou que entregaria o material para o companheiro de outra visitante. Encaminhada à delegacia, ela foi presa em flagrante.

Penitenciária de Taquarituba

Um jovem foi flagrado tentando entrar na Penitenciária de Taquarituba com um celular escondido em seu ânus, durante procedimento de revista pelo escâner corporal, por volta das 7h30 de domingo (dia 14).

Levado até uma sala reservada, o rapaz retirou o telefone móvel de seu corpo e o entregou aos agentes de segurança. Ao ser indagado, confessou que entregaria o aparelho ao primo preso.

O visitante foi encaminhado à delegacia para o registro de um boletim de ocorrência. O celular foi entregue à Polícia Civil para investigação.

Em todos os casos, as unidades prisionais também instauraram Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam as drogas, anotações ou os telefones móveis.

A SAP informa que pessoas flagradas tentando entrar com objetos ilícitos em presídios são automaticamente suspensas do rol de visitas.