Parque Tecnológico de Botucatu inaugura Laboratório de Realidade Virtual

O Parque Tecnológico de Botucatu apresentou nesta sexta-feira, 19, mais uma novidade: um Laboratório de Realidade Virtual (LabRV). O espaço conta com três estações de trabalho, equipamentos de alta tecnologia de visualização 3D, animação, convergência digital e áreas correlatas. Trata-se de um ambiente para pesquisa, desenvolvimento e formação de alunos, sempre com o objetivo de facilitar a criação de soluções inovadoras.

O LabRV é fruto do investimento feito pela Prefeitura de Botucatu, através de um convênio com o Governo do Estado.

“Este laboratório vai ser um diferencial grande, pois as empresas terão acesso a esta inovação. Pleiteamos o recurso necessário para o custeio deste investimento e estamos felizes por ter dado tudo certo”, afirma Daniel Lopes, Secretário Adjunto de Desenvolvimento Econômico.

O projeto contou com a colaboração da AnimaGames, empresa de Botucatu, especializada na área de desenvolvimento de jogos virtuais. Um Comitê Técnico formado por representantes do Parque Tecnológico, empresas do ramo e instituições de ensino que atuem na área farão a gestão do laboratório.

“Este laboratório vem de encontro a uma tendência mundial quando falamos de inovação. Não apenas no segmento de entretenimento, mas principalmente na educação. Com este tipo de tecnologia é possível provocar situações muito próximas da realidade como simular alguma atividade profissional ou apreciar virtualmente obras de museus espalhados pelo mundo, como o Louvre. É um salto bastante importante e que fortalece Botucatu neste cenário”, avalia o diretor-executivo do Parque Tecnológico de Botucatu, Carlos Alberto Costa.

O que é realidade virtual?

Realidade virtual (RV) é uma interface computacional avançada que permite que os usuários vivenciem situações reais, como a condução de um veículo, e imaginárias, como a navegação entre um planeta e outro em segundos. Assim, os benefícios da RV podem ser aplicados em diversas áreas do conhecimento. Na Engenharia, por exemplo, pode reduzir ou evitar a construção de protótipos físicos e simular ambientes inacessíveis ou perigosos. Já na Medicina, pode utilizar esta tecnologia para interpretar dados, monitorar pacientes e planejar cirurgias.

A RV possibilita manusear objetos que na vida real seriam impossíveis de serem manuseados, seja pelo peso ou pelas dimensões. Permite a visualização do mundo hoje ou há milhares de anos; permite a exploração de locais e objetos através de ambientes virtuais, fotos, gráficos, entre outros.

Os interessados em utilizar o LabRV devem entrar em contato com o Parque Tecnológico de Botucatu pelo telefone (14) 3813-3629 ou pelo e-mail contato@parquebtu.org.br.