Miro Foglia: o boêmio da Vila dos Lavradores

 

Foto Fernanda Taques: Uma das alegrias de Miro Foglia na juventude era fazer serenatas com seu violão da década de 40

Filho de Angelin Foglia e Carolina Rossi Foglia, Vlandimir Décimo Foglia (96), conhecido como Miro Foglia, nasceu no dia 8 de novembro de 1920, na Vila dos Lavradores. Pai de Vlandimir Décimo Foglia (38) e Claudimir Foglia (34).

Considerado o melhor dançarino da região em sua juventude, Miro fez questão de relembrar os bons tempos. “Eu era o melhor dançarino da região. Aprendi a dançar com minha mãe e minhas sete irmãs. Era o rei da valsa, tango e bolero. Tinha seis ternos, usava gravata borboleta para poder ir nos bailes. Era considerado o boêmio aqui da região.Sempre ia perfumado, a mulherada fica doida”, diverte-se.

Outro talento de Miro era nos gramados dos principais clubes de Botucatu. “Comecei a jogar bola moleque, era ponta esquerda. Primeiro joguei para a Associação Atlética Botucatuense, depois a Associação Atlética Ferroviária comprou meu passe”, recorda-se.

Seu primeiro emprego foi como sorveteiro no bar do antigo Cine Glória. “Comecei a trabalhar quando tinha 14 anos. Sempre fui um bom funcionário, chegava sempre no horário e nunca faltava”, conta.

Trabalhou durante seis anos na antiga Estação Ferroviária, como datilógrafo. Seu último emprego antes de se aposentar foi no tradicional Bar da Estação. “Trabalhei por 24 anos no Bar da Estação. Adorava meu emprego. Conheci muitas pessoas. Por dia, vendia 30 litros de café com leite. Sempre fiz de tudo, não tinha preguiça de trabalhar. Fiquei lá até me aposentar”, diz.

Outra paixão de Miro é tocar seu violão da década de 40. “Fiz muitas serenatas com esse violão. Sempre gostei de cantar e tocar”, afirma.

Quando perguntamos quantas vezes ele foi casado, o galanteador respondeu. “Sou solteiro até hoje, nunca quis casar. Sempre gostei de namorar. A mãe dos meus filhos sempre perguntava quando íamos casar, falava que mais para frente e nunca casei”, conclui rindo.