Após um bom desfecho na temporada 2020-21, Palmeiras quer se manter no trajeto rumo a grandes títulos

A temporada passada no Brasil foi especial para alguns times do estado de São Paulo. Enquanto na disputa a nível estadual o Palmeiras se sagrou campeão sobre o Corinthians para quebrar um jejum de 12 anos desde o último título conquistado no torneio, no Brasileirão foram três do quatro grandes do estado conquistando a classificação para a Copa Libertadores – apenas o já mencionado Corinthians ficou de fora.

O ano foi ainda mais especial para o alviverde paulista. Apesar da troca de comando no meio do ano a partir da demissão de Vanderlei Luxemburgo e a entrada do técnico português Abel Ferreira em seu primeiro trabalho em solo brasileiro, o time fez uma campanha inesquecível rumo à final da Copa Libertadores, contra o rival estadual Santos. Na disputa o Verdão se saiu melhor graças a um gol de Breno Lopes nos acréscimos do segundo tempo, levantando o maior título do continente pela segunda vez em sua história.

Mesmo com a decepção no Mundial, perdendo a chance de ir para a final contra o Bayern de Munique por conta da derrota para os mexicanos do Tigres UANL na semifinal, o rumo do Palmeiras não foi mudado – como mostrou a consequente vitória na Copa do Brasil sobre o Grêmio para fechar a temporada 2020-21 com chave de ouro. Ele continua sendo um dos times mais fortes do Brasil e consequentemente da América do Sul, com boas chances de repetir as glórias de anos de outrora na temporada atual.

2021 ainda é promissor

A primeira demonstração de força para o Palmeiras este ano foi o campeonato estadual. Ainda que o foco fosse a fase de grupos da Copa Libertadores e a consequente classificação para a fase final da competição continental, trazer o título paulista mais uma vez para o Allianz Parque seria um grande feito.

Apesar de tropeços como o empate por 1 a 1 com o São Bento e derrotas contra Mirassol e Inter de Limeira, o Verdão persistiu e conseguiu chegar à final do torneio estadual após derrotar o Corinthians por 2 a 0 na semifinal. Mas nos dois jogos da final contra o São Paulo, o time não conseguiu ter uma boa performance. Com um placar de 2 a 0 no agregado a favor do Tricolor, foi a vez do time do Morumbi quebrar seu jejum sem títulos do Campeonato Paulista, que já durava 16 anos.

Tal decepção no Campeonato Paulista foi recompensada pela excelente performance do time na fase de grupos da Copa Libertadores. A única derrota veio contra o Defensa y Justicia, time argentino que já havia derrotado o Palmeiras na Recopa Sul-Americana, reunindo vencedor da Copa Libertadores e vencedor da Copa Sul-Americana no começo da temporada atual. O jogo teve altas emoções e terminou com um placar de 4 a 3 a favor do antigo time do técnico são-paulino, Hernán Crespo.

A performance do Palmeiras na Copa Libertadores, considerando sua recente vitória por 6 a 0 contra o Universitario do Peru, posiciona-o muito bem para o Brasileirão, ainda que os prospectos de futebol de plataformas de apostas online como a Betway não sejam tão favoráveis face a rivais como o atual campeão, Flamengo. No primeiro jogo do torneio no dia 30 de maio, que terá o Verdão contra o Rubro-negro no Maracanã, é o time da casa quem conta com mais chances de vitória, com 65% de favoritismo. Enquanto isso o Palmeiras conta com apenas um terço de chances, com cerca de 21% de se sair vitorioso no confronto de acordo com a plataforma.

Entretanto, por mais importantes que sejam os confrontos diretos com rivais pelo título, uma eventual derrota do Palmeiras frente ao Flamengo não significa que suas chances de ganhar a liga não sejam grandes. E essa é a “graça” de um torneio no formato como o do Brasileirão, que recompensa quem mantém a consistência – e tem a capacidade de recuperação – em uma jornada de 38 jogos ao longo do ano.

Comando e elenco são as fortalezas do Verdão

A consistência é algo necessário não só no Brasileirão, mas também nos outros torneios. E a manutenção disso necessariamente envolve o comando de Abel Ferreira, que tem até aqui se mostrado uma excelente aposta por parte da direção palmeirense desde o seu apontamento na metade da temporada passada.

Uma derrota em uma final de campeonato muitas das vezes deixa um comandante em maus lençóis com os diretores da agremiação. Entretanto, Abel conta com um bom lastro perante seus chefes, ajudado pelo bom desempenho do Palmeiras na Libertadores e também pela conquista da Copa do Brasil – um troféu que já virou “costume” para o Palmeiras desde 2012, quando o seu jejum de 14 anos sem levantar a taça foi quebrado.

O trabalho de Abel é severamente ajudado pelo elenco palmeirense, que continua sendo um dos melhores do país e consequentemente do continente. Ainda que as contratações feitas nesta temporada tenham sido apenas empréstimos, como ocorreu com o zagueiro Alan Empereur, que chegou ao Palmeiras a partir do clube italiano Hellas Verona, o time ainda conta com nomes excelentes como o goleiro Weverton e o meio-campista/lateral Gabriel Menino, que provavelmente representarão o Brasil na Copa América.

Bons nomes no papel certamente não são o bastante para garantir títulos a qualquer time. Mas eles são também a melhor base para a formação de um time com potencial de ser campeão. A partir disso, o torcedor palmeirense pode se manter confiante quanto às chances de ter mais uma temporada de glórias para si graças ao desempenho do alviverde no campo e bola Brasil (e América do Sul) afora.