Weverton e Patrick de Paula brilham e Palmeiras é Campeão

Goleiro defendeu duas cobranças e a cria da base anotou o pênalti da vitória

Com a melhor defesa, Palmeiras conquista seu 23º título estadual – Twitter oficial da SE Palmeiras – @Palmeiras

 

Por Giovanni Luque

O leitor mais atento vai lembrar que eu disse, no texto da última sexta feira (07), que, devido às circunstâncias da primeira partida, quem fizesse um gol sairia vencedor. Pois bem. Foi quase isso, não fosse a ingenuidade do ótimo zagueiro Gustavo Gómez ao fazer um pênalti aos 50 minutos do 2º tempo.

Então, gol de empate no finalzinho e disputa do título nos pênaltis é sinônimo de jogo bom, certo? Errado! Bom mesmo, só se for de emoção e nervosismo, pois qualidade de futebol, esse Palmeiras x Corinthians passou longe de ter e lembrar os tempos (antigos e recentes), em que o Derby produzia jogos muito prazerosos de se assistir.

Ao analisar essa partida sem torcer para um para outro, o que podemos dizer é que o duelo foi muito fraco tecnicamente. Cássio fez 2 defesas e Weverton, nenhuma, o que mostra, além da falta de criação, a dificuldade de se finalizar em gol ou, ainda, a preferência por um passe. Falta ousadia, de fato, falta alguém que quebre linhas, parta pra cima e busque o gol. Mas é claro que quem foi campeão não está nem aí pra isso.

Tiago Nunes tem um elenco muito limitado em suas mãos, totalmente diferente do rival verde. Hoje, mexeu mal ao substituir Mateus Vital por Everaldo e foi previsível em colocar Araos e Cantillo no lugar de Ramiro e Gabriel, mas não tinha muito o que fazer de diferente. O diferencial desse time é o centroavante Jô, extremamente capacitado e artilheiro. Briga bem, usa o corpo e, quando precisam, ali ele está.

O Alviverde não foi brilhante, mas foi (e é) melhor. F. Melo e Gustavo Gómez são muito consistentes e, apesar do pênalti infantil do paraguaio, a dupla fez excelente partida. Viña atuou bem e deu assistência para a bela cabeçada de Luiz Adriano, autor do gol palmeirense. O tempo no banco fez bem para Willian, que voltou mais móvel e buscando jogo, sofrendo faltas e finalizando com perigo.

Mas, acima de todos esses nomes tarimbados do futebol, o destaque do campeão nesse Paulista tem nome e sobrenome: Patrick de Paula. O volante teve mais uma boa e dinâmica partida, oferecendo qualidade na saída de bola e presença importante no meio de campo. Depois, no final, ainda sobrou tempo pra chamar a responsabilidade nos pênaltis e fazer o da vitória. Da Taça das Favelas pro mundo, Patrick é realidade!

Não poderia encerrar o texto sem citar o goleiro Weverton. Seguro em todo o campeonato, ele defendeu as cobranças de Michel Macedo e Cantillo e deu o título ao Palmeiras. Quase nunca falha e faz vários “milagrinhos”, grandes características de um ótimo goleiro.

Agora, as duas equipes se voltam para o Brasileirão. O Corinthians pega o Atlético Mineiro em Minas Gerais e o Palmeiras vai até o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense, ambos os jogos na quarta feira dia 12.

Para o restante da temporada, é óbvio que muito precisa ser melhorado. Mas, depois de um título, o caminho é mais suave e menos cheio de pressão para uns do que para outros.

Giovanni Luque é estudante de jornalismo e colaborador do Acontece Botucatu