UM “BAITA” DOMINGO DE RECONHECIMENTOS

 

Que vidinha danada esta nossa né? Graças a Deus, este nosso viver por este mundinho incerto e passageiro, ainda não está de tudo perdido; atos generosos e de reconhecimento, felizmente continuam ocorrendo, com frequência, entre nós.

Pois bem, neste final de semana, este meu jeito de viver de sonhos, “chacoalhou” demais o meu pobre coração. Tive a sensação de que, exatamente, como diz uma música – A CHUVA QUE CAI – muito tocada nos anos oitenta, dos “Caçulas” (pouca gente se lembra deste grande conjunto musical, que marcou época) que diz: “… o mundo está mudando…”, fez coro em tudo o que almejo para um mundo do bem para todos.

Pena que a passeata passou! Que glória se isso fosse verdade, se o mundo, de fato, estivesse mudando! Infelizmente o mundo está de “ponta cabeça”. A coisa “tá braba demais”, tal o desrespeito que as pessoas têm umas com as outras. RECONHECIMENTO é uma palavra em extinção no nosso vocabulário.

No entanto, como eu disse no início desta minha manifestação, atos serenos e grandiosos continuam acontecendo (claro que em pequenas quantidades) em todos os lugares frequentados por gente grande e da família do bem.

Pois bem, fui convidado para assistir, na manhã do último domingo (26/03), a festa de lançamento da 30ª edição do Campeonato Suíço da Associação Atlética Botucatuense que leva o nome de um dos maiores “boleiros” aqui da terrinha, o queridíssimo Plininho Genta. Nada menos do que a Seleção Brasileira Master de futebol se apresentou nesta maiúscula promoção promovida pela equipe do meu grande amigo Jânio Gonçalves, presidente desta nossa querida e conceituada agremiação social e esportiva; prazerosamente, lá estive.

Que manhã deliciosa! Primeiramente, por ter a oportunidade de rever grandes amigos (Ivair Tardivo e o renomado professor em Agronomia, Ismael Bonassi – aliás, dois leitores assíduos dos meus “causos” semanais, com quem há tempos não me encontrava – entre outros tantos). Ah, já tinha curtido o baile da seresta da AAB, na noite anterior, com outro expoente da nossa sociedade, meu amigo Nenê Bueno. Depois, por testemunhar a presença de tanta gente (mais de mil pessoas, com certeza) para assistir um evento rotineiro no clube; e, o mais importante ainda, por ver personalidades expressivas da terrinha, serem lembradas por aquilo que representam pela cidade.

Claro que o objetivo principal do evento foi homenagear o PATRONO destes 30º Jogos Internos de futebol suíço, o meu inseparável amigo Plininho Genta, entretanto, ao longo dos acontecimentos, até como forma de realizar uma festa comparada à grandeza do homenageado, cenas de muita emoção ocorreram. Quatro bandeiras foram hasteadas no recinto das festividades e, cada uma delas, levadas até lá, por quatro figuras maiúsculas do esporte botucatuense, que também acabaram homenageadas.

As bandeiras do Brasil, do Estado de São Paulo, da Municipalidade e do clube alvinegro da Avenida Dom Lúcio tiveram como “padrinhos” os esportistas imortais, Doutor Newton Colenci, presidente da Academia Botucatuense de Letras; Fúlvio Chiaradia, um dos mais atuantes craques do nosso futebol amador; José Airton Amorim, um dos historiadores mais refinados do nosso esporte amador e o sempre elétrico, Antonio “Maquininha” Morales, um craque que construiu uma bonita história no futebol amador botucatuense.

“Bão”, agora tenho que “falar” um pouco do amigo Plininho Genta, essa grande figura que recebeu, com méritos, uma “baita” e merecida homenagem. Aliás, a festa era todinha dele! Que maravilha! Quando esse “menino de ouro”, um dos mais completos profissionais da Caixa Econômica Federal, da Vila dos Lavradores, recebeu das mãos do ilustre cidadão que comandou o cerimonial (o também meu amigo de longa data, Francisco Carlos Tancler) a tradicional “latinha” pra ele “desabafar”, quase tudo veio abaixo! Quanta emoção se espalhou entre todos os presentes.

Esse grande craque do nosso futebol amador que, não tenho dúvidas em afirmar, realizou um grande sonho em sua vida, que era o de poder participar um dia de uma partida (mesmo que num jogo festivo), ao lado de fenômenos como Valdir Perez, Zenon, Ademir da Guia, Edu, Edu Bala, Rosemiro, Ataliba e muitos outros que aqui estiveram; na hora do “desabafo”, com voz embaraçada, não deixou de agradecer nenhum dos seus amigos, especialmente o Diretor de Futebol suíço, seu irmão Rinaldo Carlos Jerônimo; demonstrou uma alegria enorme em compartilhar com os seus familiares essa grande conquista e por fim, de maneira bastante embargada, lembrou-se das horas amargas que enfrentou com o falecimento prematuro de uma das suas maiores preciosidades: o seu filho Thiago, que Deus o levou, no ano passado, para perto DELE.

Enfim, prezado leitor, posso dizer que voltei pra casa naquela domingueira, com o a sensação de ter “ganho o dia”, até porque, sinto um prazer enorme em participar de solenidades em que as pessoas são valorizadas e reconhecidas. Vi muita “gente das boas” serem valorizadas. Curti muito também o anúncio feito pelo cerimonial, do nome de outras duas “pérolas” do nosso futebol: meus amigos, João Marcos – filho de um dos “cartolas” mais arrojados do nosso futebol, o saudoso João “Costela” Coelho da Silva – um “boleiro” diferenciado da nossa várzea que chegou, inclusive, a vestir a camisa da Seleção Brasileira; e o meu inseparável companheiro dos áureos tempos do Comercial FC de Vila Antártica, Reginaldo “Gege” José Matheus, que saíram das arquibancadas para se juntar àquele grupo seleto de “estrelas do passado”. Que coisa bonita de se ver! Meus amigos, a festa estava tão saudosista que ouvi (com maior entusiasmo) novamente, aquele hino mágico da Copa do Mundo de 1970: “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração…”. Eta “nóis”!

Como não falar do lado solidário deste evento. Os organizadores solicitaram dos convidados que fizessem a doação de um litro de leite. Ao final arrecadaram mais de 500 caixinhas que foram repassadas a instituições assistenciais. Glória!

Parabéns gloriosa Associação Atlética Botucatuense, por mais uma vez, reconhecer o talento e as qualidades de um esportista (Plininho Genta) que é referência positiva, não só aos seus associados, mas a toda sociedade botucatuense e de outros tantos que sempre trilharam por caminhos gloriosos!

Ao meu irmão Plininho Genta, os meus cumprimentos, por receber tão nobre honraria! Você é, inegavelmente, um exemplo de filho, pai, irmão, cidadão, esportista e, principalmente, de ser humano que carrega em seu coração, tudo (tudo mesmo) aquilo que necessitamos para termos uma vida bem vivida. Nada como os dizeres estampados numa faixa que estava colocada num determinado local, naquela manhã festiva para demonstrar o tamanho do seu merecimento: “NA VIDA, NA FAMÍLIA E NO FUTEBOL, UMA HISTÓRIA DE AMOR, SUPERAÇÃO E DEDICAÇÃO”.

Encerro esta minha manifestação fazendo um agradecimento público a todas as pessoas que, na sexta-feira que passou (24/03) nos abraçaram na campanha realizada pela Rádio Municipalista, que objetivava angariar recursos para a compra de uma passagem aérea para um pai (do Estado de Rondônia), que veio a Botucatu junto da esposa, acompanhar a cirurgia de um filhinho de um ano e meio. Lamentavelmente o SUS – Sistema Único de Saúde, não entende como necessário a companhia do pai nesses casos. Daí…

Por fim quero abraçar carinhosamente um lindo casal da sociedade botucatuense que completa amanhã 50 anos de vida conjugal, meus companheiros de serestas aqui, ali e acolá, Rose e Rubens Cardozo. Parabéns belo casal! Tenham absoluta certeza, queridos, muitos de nós, casais de seresteiros ou não, sempre almejamos realizar esse lindo sonho chamado “Bodas de Ouro”! Parabéns, parabéns e parabéns!

Com carinho idêntico, abraço a minha linda princesa Fernanda Carla de Almeida, que também aniversaria neste sábado. Se Deus quiser, amanhã vai “rolar” muitas e muitas “redondinhas”, lá na residência do sempre atencioso e prestativo, Major José Semensati Junior.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com