McDia Feliz, um encontro de muitos voluntários numa mesma estrada!

 

Isso mesmo! O título deste “conto” expressa verdadeiramente o quê podemos afirmar da importante campanha (Mc DIA FELIZ), coordenada pelo Instituto Ronald McDonald, ocorrida ao longo de todo o dia (26/08), nas duas “casas” Mc Donalds da cidade e que repassa todos os recursos angariados com a venda de lanches Big Mac ao setor de Oncologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da UNESP; neste ano, para a surpresa de muita gente, teve até a colaboração de esferas governamentais, acredite o ilustre Governador de São Paulo, Doutor Geraldo Alkimim, teve a ousadia de liberar o ICMS que normalmente é cobrado de todos os produtos consumidos pela nossa gente.

Que dia encantador! Quanta solidariedade “rolou solta” durante o sábado todinho! Primeiro porque um “montão” de pessoas comprometidas com um bem comum verdadeiro – e não com isso que se prega quando eventos são realizados somente com o propósito de “valorizar” algumas figuras da sociedade – se abraçaram em prol de um resultado grandioso dessa valorosa AÇÃO DE CIDADANIA; e também, pelo fato de estarmos vivendo um momento ruim por todos os cantos deste Brasil esfacelado, por culpa de cidadãos que só olham o próprio umbigo. Era uma questão de honra para muitos dos componentes da organização, especialmente os mais jovens, o sucesso dessa “empreitada”.

Com as graças DELE, o nosso PAI e o arrojo dessa meninada que “vestiu a camisa” dessa iniciativa, o resultado não poderia ter sido outro: neste ano, mesmo com todo esse, “oba, oba” de crises, conseguimos vender, ou melhor, arrecadar para as nossas crianças do setor de Oncologia do HC, quase o dobro do que foi auferido na campanha do ano passado. Glória!

“Bão”, se no lado da arrecadação o resultado ultrapassou todos os limites da satisfação dos organizadores, no aspecto SOLIDARIEDADE, o vulto do evento ganhou uma proporção ainda maior. Muitos empresários (muitos mesmos), esses mesmos que não aguentam mais tantos tributos, que são colocados “goela abaixo” por essa cambada que comanda o Brasil, e alguns clubes de serviços da cidade compraram os referidos lanches e doaram os mesmos para grupo de voluntários que, de modo bastante emocionante, fizeram festas com a gurizada aqui, ali e acolá. Teve festança em muitos cantos da cidade, muito especialmente nos nossos bairros periféricos.

“Nóis” que com as forças DELE, o Protetor do Mundo, trilhamos por caminhos onde a fome e a miséria nos faz companhia, cotidianamente, com a ajuda de alguns desses empresários (Fernando Borgato; Sidney Antonio da Silva; Fernando Azanha; Donizeti Manzini; Marcos Dalaqua; Juvenal Benito; Doutor Mário Colombeli; Beto Salomão; José Geraldo Batista da Silva, o Geraldinho da Aquário, entre outros), tivemos a grata satisfação de realizar alguns festejos agradando em cheio, muitas dessas maravilhas (as nossas crianças) que sequer conheciam um lanche do Mc Donalds.

Porto Sayd, um lugarejo encantador próximo do acolhido Rio Bonito Campo e Náutica, cuja creche cuida, diariamente, de cinquenta crianças carentes e as nossas Casas de Apoio do Hospital das Clínicas e FAMESP – que também abrigam e cuidam de muitas dessas preciosidades – foram as nossas opções neste ano. Lanches e refrigerantes (esses doados pelo grande parceiro João Cláudio Tomaz da Silva, o Joãozinho da Aquário) fizeram toda a diferença entre a molecada, por horas e horas.

Agora, solto pela cidade, nem se fale. Ocorreram “reuniões” festivas da meninada em vários locais e, em todos, a “marca” da alegria sentida, ficou por conta do abençoado lanche Big Mac.

Enfim, foi muito legal participar, mais uma vez, de uma corrente dessa grandeza. Que venha a próxima!

Parabéns, Instituto Ronald McDonalds pela excelência em levar adiante um programa humanitário dessa magnitude. Aplausos também aos queridos amigos dessa empresa que tem a “cara” das nossas crianças, em especial ao meu amigo Douglas de Almeida, que em mais uma oportunidade abraçaram as nossas dificuldades.

Ao grande cidadão do bem Paulinho Nogueira, senão o maior, um dos maiores seres humanos desta terrinha que “pulsa” solidariedade, a minha mais profunda admiração.

Por fim, o meu abraço carinhoso a um menino que faz toda a diferença em ações dessa grandeza: Augusto Albano, sem duvidas, a preciosidade mor da nossa Fundação Para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar – FAMESP, e aos Professores Lied Pereira Mendes, José Roberto Fioreto e Antonio Rugolo Junior (e toda equipe da FAMESP), pelo respaldo oferecido ao sucesso deste evento.

Em ritmo de criança feliz, abraço outro integrante do quadro de funcionários da nossa conceituada FAMESP: meu amigo pessoal e leitor frequente dos meus “causos” aqui contados, Eliomar Gomes, um dos vinte e oito leitores que me cumprimentaram pelo último texto.

 

Rubens de Almeida – Alemão

[email protected]