Uma semana depois, Botucatu contabiliza prejuízos com a maior chuva de sua história

Nesta segunda-feira, 17, faz uma semana que Botucatu viveu um dos maiores dramas de sua existência. Uma chuva sem precedentes, de 298 milímetros, varreu os quatro pontos do município.

Pontes foram derrubadas, casas foram destruídas, estradas ficaram interditadas e muitas propriedades na zona rural ficaram isoladas. Centenas pessoas ficaram desalojadas e algumas desabrigadas, famílias perderam tudo e alguns comerciantes tiveram prejuízos incalculáveis.

Segundo o Prefeito de Botucatu, Mário Pardini, somente na área urbana o prejuízo foi de aproximadamente R$ 18 milhões. Não há ainda uma estimativa em valores de tudo que foi destruído na área rural de Botucatu.

Na última sexta-feira, dia 14, o governo de São Paulo liberou uma verba emergencial de R$ 20 milhões para cidades afetadas. Botucatu foi a mais prejudicada no interior de São Paulo, fato que fez com o que Rodrigo Garcia, vice-governador do estado, viesse acompanhar ‘in loco’ a situação da cidade na última terça-feira, 11.

Pardini viajou na última quarta-feira, dia 12, para Brasília, onde se reuniu em várias secretárias buscando recursos. Na sexta-feira ele divulgou um vídeo ao lado do Governador João Doria, que por sua vez, prometeu dar total apoio.

Morador mostra altura do volume de água em sua residência no Lavapés (Foto André Godinho/Acontece Botucatu)

Além dos danos estruturais e materiais, a cidade lamentou a morte de 4 pessoas, um caminhoneiro na Marechal Rondon e um homem e duas mulheres da mesma família na Rodovia Alcides Soares.

Na área urbana de Botucatu sete pontes foram destruídas total ou parcialmente pela chuva. Outras vias também foram interditadas. Confira:

– Túnel da Cohab I: Acesso entre Cohab I e Cohab II, por baixo da Rodovia Marechal Rondon.

– Ponte na Rua Antônio Bernardo: Principal acesso para a Estrada dos Oians

– Emílio Cani

– Ulisses Rossi Grassi

– Quintino Bocaiuva

– Coronel Vitoriano Villas Boas

– Major Leônidas Cardoso

– Rafael Sampaio: A ponte da Rua Rafael Sampaio foi a mais afetada e terá que ser totalmente reconstruída.

– Amando de Barros (Salgueiro)

– Rua dos Costas

– Cambuí: A ligação entre o Jardim Cambuí e o Jardim Itamaraty pela Rua Luísa de Masseno Pontes, está fechada para os motoristas.

– Lageado: A ponte dentro da Fazenda Experimental do Lageado também caiu

Rodovias afetadas em Botucatu 

-Na Alcides Soares a ponte do Capivarinha, local de três mortes, está com o trânsito parcialmente liberado.

-Na Marechal, km 258, local de outra vítima fatal, o trânsito também foi parcialmente liberado na tarde de sexta-feira, dia 14.

Na Geraldo Pereira de Barros – SP-191, no km 174 a ponte do rio Capivara está interditada pelo desmoronamento das duas cabeceiras

Estragos na Zona Rual 

As estradas rurais de Botucatu também foram bastante afetadas. Boa parte dos 1,5 mil quilômetros de estradas de terra sob responsabilidade da Administração Municipal ficou intransitável, seja por conta da abertura de valas e buracos nas vias ou por pontes que foram destruídas.

Na noite da última quarta-feira, 12, a Secretaria Municipal de Infraestrutura já havia possibilitado a retomada do trânsito de veículos leves na Ponte do Rio Capivara, na Rodovia Alcides Soares, e a liberação das Estradas do Piapara, Indiana e Márcia Mira até a área asfaltada, e da Estrada da Bocaina até a segunda ponte de concreto no trajeto até o centro da Cidade.

Veja fotos do Acontece no pós desastre