Senador Álvaro Dias visita Botucatu e revive tempos de seminário

 

Senador Álvaro Dias em entrevista ao Acontece Botucatu
Senador Álvaro Dias em entrevista ao Acontece Botucatu

Entre as muitas presenças de políticos na cidade de Botucatu na manhã deste sábado,23, o grande destaque foi a presença do senador Álvaro Dias do PV. Ele veio para participar de um encontro regional de seu partido no Primar Plaza Hotel.

Antes da agenda política, o senador fez questão de voltar ao seu passado botucatuense. Sim, um dos principais políticos do país já morou em Botucatu, por um bom tempo, diga-se passagem.

“Eu estudei aqui em Botucatu no seminário São José durante dois anos, na época primeiro e segundo ano ginasial. Foi um período importante na minha formação e hoje fiz questão de visitar o seminário. Pude rever aquele local onde eu brinco que fiquei prisioneiro, pois era um internato, mas foi um período muito importante”, brincou o senador.

Álvaro Dias durante encontro do PV
Álvaro Dias durante encontro do PV

O PV de Botucatu, que até poucos meses atrás era da base do governo João Cury, se aliou ao principal opositor dos PSDB, o ex-prefeito Mário Ielo. Questionado pelo Acontece Botucatu sobre as ações seu partido em âmbito local, Álvaro Dias se mostrou distante, mas fez questão de salientar que o comando Partido Verde dá autonomia para as tomadas de decisões locais e regionais.

“Eu acompanho, embora que distante, mas damos total autonomia para os diretórios tomarem os rumos necessários para o Partido Verde. Aliás, um dos grandes defeitos dos partidos brasileiros é esse do cartorialismo, ou seja, das decisões importas de cima para baixo, sem respeitar os militantes. Mesmo os grandes partidos se apresentam com esse vício, o da prepotência do autoritarismo dos dirigentes. O PV dá liberdade plena as seções regionais, locais para que elas decidam seus destinos. Em Botucatu nós sabemos da mudança de rumo e avalizamos, pois, confiamos nos caminhos tomados”, disse ao Acontece Botucatu o senador.

Álvaro Dias

alvaroNascido em Quatá, interior de São Paulo, se mudou para Londrina-PR ainda na juventude, onde começou a fazer carreira política. Deputado estadual e federal, também foi governador do Paraná de 1987 a 1990.

No PV desde 2015, após passagens por PMDB, PSDB, PP e PDT, é considerado uma das maiores figuras da oposição ao governo do PT. Está em seu quarto mandato como senador pelo estado do Paraná, tendo sido reeleito em 2014.

Em 2009, após reportagem da Folha de São Paulo, teve seu nome envolvido na chamada farra das passagens com outros três senadores, Geraldo Mesquita,  Paulo Paim e Osmar Dias. De acordo com a reportagem, as cotas foram usadas por parentes e amigos dos parlamentares e por uma entidade beneficente. Foram 12 viagens internacionais, sendo sete de ida e volta, para Buenos Aires e Montevidéu.