85 ANOS DE UMA VIDA MUITO BEM VIVIDA!

Com muita satisfação, encerrei o meu texto da semana passada enviando um abraço, muito fraternal, a uma das famílias mais tradicionais da nossa hospitaleira e acolhedora “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS” (a família RUBIO, maior herança do ex-vereador Luiz Rubio) que, no último domingo do mês de maio (31/05), realizou no salão de festas do Centro do Professorado Paulista, uma festa para comemorar os 500 ANOS DOS FILHOS DE MARIA e JOSÉ RUBIO.

Na oportunidade demonstrei minha felicidade de poder abraçar todos os integrantes dessa irmandade gigantesca, em contrapartida, lembro-me de também evidenciar minha preocupação com esse “modernismo” absurdo que vem tomando conta do mundo. Aliás, o reflexo da modernidade é o desprezo aos reais valores que está minguando, aos poucos, o sentido e a importância da família para a sociedade.

 Que beleza! Que expressão de união e fraternidade demonstraram os componentes dessa autêntica pérola existente entre as famílias botucatuenses! Como é bom saber que algumas famílias resistem aos paradoxais avanços e, a cada dia, perpetuam o afeto e continuam se abraçando! Glória!

Pois bem, no domingo subsequente (07/06), quis Deus que eu estivesse de “corpo e alma”, com toda a minha preciosa família, no salão de festas do FUSS – Fundo Social dos Servidores da FM, HC e FAMESP, para festejar os oitenta e cinco anos de uma vida “bem vivida” de um ser expoente. Neste mundo injusto, desleal, de difícil entendimento ainda existem pessoas solidárias, fora de série.

Que legal! Festejei muito; escutei muitas e muitas piadas; tirei “retratos” com todos os convidados; tomei várias “redondinhas”; apreciei uma deliciosa refeição; matei saudades de um “punhado” de pessoas que estavam um pouquinho distantes de mim; cantei o tradicional “Parabéns a Você”; enfim, curti um domingo encantador ao lado de um filho DELE de causar inveja, desses que dispensam comentários, que se dedica com afinco a tudo o que faz, mantendo a vontade de servir o próximo e, principalmente, a ânsia de sempre auxiliar os nossos irmãos mais necessitados, que naquela data estava completando 85 anos de vida: meu irmão e “paizão” Orlando de Almeida.

Que “baita” presente “nóis” – irmãos, cunhadas, filhas, genros, sobrinhos e sobrinhas, netos e netas, bisnetas e um “montão” de amigos – proporcionamos, ao ex-vereador (dois mandatos), ex-ferroviário, ex-funcionário do Hospital Sorocabana, ex-presidente do nosso Asilo Padre Euclides e sempre atuante (está no cargo há mais de três décadas, sendo reeleito recentemente, por unanimidade, por mais cinco anos) Presidente da Associação dos Ferroviários Aposentados e Pensionistas da extinta e saudosa Estrada de Ferro Sorocabana, Orlando de Almeida.

Enfim, mais uma vez, termino esta semana de bem com a vida, sobretudo porque, apesar de todo o meu pessimismo em relação à falta de amor entre familiares (que aprendemos no berço e que, infelizmente, está acabando), depois dessa festança, volto a acreditar que, neste mundinho misterioso e passageiro, nem tudo está perdido. Graças a Deus o amor fraterno continua em alta dentro da minha casa. Parabéns, grande comandante Orlando de Almeida, pelos seus oitenta e cinco anos de vida. Que ELE, o nosso PAI continue lhe proporcionando saúde suficiente para continuar exercendo essa importante missão aqui entre nós.

Mesmo com uma saudade sem dimensões, aproveito toda a maravilha deste “conto” para, em forma de homenagem póstuma, abraçar o meu “velho pai” Antonio de Almeida, que hoje mora no céu e que se estivesse entre nós, estaria aniversariando amanhã, Dia de Santo Antonio. Um grande beijo e até qualquer dia “… meu querido, meu velho, meu amigo…”.

Com carinho idêntico, abraço outras três pessoas especiais que me fazem companhia, em tudo o que projeto realizar em prol de um mundo melhor para todos e que, para minha satisfação, são leitoras assíduas dos meus causos semanais: meus amigos Doutor Mário Colombeli, o grande administrador, de tempos idos, da nossa DURATEX; o ex-defensor ferrenho de um partido político que, graças a Deus, está se desmanchando no Brasil inteirinho, Nelson Carneiro, o “Pé de Rodo” e o maior representante da comunidade rural da terrinha, Zé Piranha, o moço que realiza com perfeição e muito carinho, os mais variados eventos “caipiras” em toda zona rural “botucuda”.

 

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com