“… NOSSA SENHORA ME DÊ A MÃO, CUIDA DO MEU CORAÇÃO… “

“Eta nóis”, como é bom viver pelo bem, ter fé e Deus no coração. Ainda mais, como é fantástico sentir a proteção dos nossos santos padroeiros! Pelo 13º ano consecutivo, através desta coluna, rendo minha homenagem à nossa Senhora Aparecida, a Padroeira de todos nós, brasileiros. Que prazer poder abrir o coração para compartilhar com os meus leitores uma data, para mim, da mais alta relevância.

Confesso que, mesmo entre uma e outra “redondinha” ingerida durante todo o domingo, dia 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças (por sinal, uma domingueira das mais quentes, nos últimos meses) não deu para desviar o pensamento daqueles lindos e verdadeiros dizeres contidos numa das mais belas canções interpretadas pelo Rei Roberto Carlos (Nossa Senhora, de autoria do Padre Marcelo Rossi): “… NOSSA SENHORA ME DÊ A MÃO, CUIDA DO MEU CORAÇÃO…”.

Com certeza, por todos os cantos deste país injusto socialmente – porém, composto na sua maioria, por pessoas que, em momento algum deixam de acreditar na força da religiosidade – esse, que é um verdadeiro hino, foi cantado por muita gente. 

É, meus amigos; neste mundo, onde ninguém é de ninguém e nada nos pertence, se sentir merecedor da proteção divina, sem dúvida alguma, é a melhor de todas as melhores coisas. Confesso que fui mais um, entre os milhões de brasileiros, que imploraram suas bênçãos nesse dia.

Que bom, por mais um ano estar vivo para festejar esse dia repleto de muita fé e, sobretudo, agradecer e continuar fazendo por merecer o amparo da Nossa Protetora, Santa Milagreira, que a cada ano ajuda a prorrogar um pouquinho mais a nossa estada por este mundo passageiro. Glória a Deus!

Como de costume, nesse dia em homenagem também ao DIA DAS CRIANÇAS curti muitas maravilhas ao lado dos meus familiares (esposa, filhos, filhas e netos) e ainda tive a satisfação de compartilhar momentos emocionantes numa “festona” organizada por um grupo de filhos DELE, realizada no Bairro da Mina, para toda a gurizada daquele aconchegante lugarejo.

Ao longo de todo o tempo em que lá estive, ao lado do famoso lago ali existente, deparei-me com um “montão” de meninos e meninas radiantes de alegria, afinal, “rolou” de tudo naquela festança, desde algodão doce, pipoca, cachorro quente, refrigerante, pastel e até brinquedos infláveis como o “badalado” e “fiel escudeiro” da meninada, o pula-pula.

Bem ao meio dia, os presentes (não eram poucos) se curvaram às preces. Uma grande corrente foi formada, e nela, os fiéis com fervorosa fé imploraram a ELA, a “Padroeira do Brasil” que continue abençoando nossas vidas, nossas famílias e, acima de tudo, oferecendo a força fecunda que nos move pelo caminho da paz e do bem.  Em seguida aconteceu uma bonita queima de fogos que durou alguns minutos. Foi tudo muito lindo!

Como convidado especial e também profundo admirador de todos aqueles que fazem sua parte e plantam a semente do bem, principalmente pelo bem estar das nossas crianças, aproveito a oportunidade para, em nome do meu amigo Hélio Mariano, “abraçar” um a um, todos os voluntários que se dedicaram em prol do êxito absoluto desta preciosa ação entre pessoas especiais. Parabéns, queridos amigos. Vocês de fato, agradaram em cheio toda a meninada daquela região. 

Pena que desta vez, não pude comparecer na tradicional festa que acontece, há muitos anos, lá em Vitoriana e que, de um jeito grandioso, consegue “agregar” perto de quatrocentas crianças. Porém, tomei conhecimento do sucesso que os meus companheiros de grupo – aliás, como sempre, muitíssimo bem capitaneados pela sempre aguerrida companheira Ondina Silvia Cotrim – alcançaram por lá.

Naquele sofrido Distrito (ninguém melhor do que nós, componentes do Grupo de Amigos Voluntários, para testemunhar essa triste realidade), a festança foi ainda maior, pois além dos tradicionais “comes e bebes” (pipoca, algodão doce, refrigerantes, cachorro quente, sorvete, etc,) e dos brinquedos infláveis que foram colocados à disposição da molecada desde o início da manhã, a organização premiou toda a criançada com uma bonita lembrancinha e ainda sorteou duas bicicletas.

 

QUALIFICAÇÃO DAS CUIDADORAS DAS CASAS DE APOIO E NOVA DIRETORIA DA APTO

Quero aproveitar este “encontro” com você, caro leitor, para dizer como foi a entrega de diplomas do curso de CUIDADORA, que dezenove colegas de um trabalho cotidiano realizado nas Casas de Apoio da FAMESP fizeram no Colégio Vitória e ao mesmo tempo, “falar” um pouquinho de uma entidade voltada exclusivamente para pacientes renais: a APTO – Associação de Apoio ao Transplante de Órgãos e Tecidos aos Pacientes em Terapia Renal Substitutiva.

No final da manhã do último dia 8, no Salão de Festas do FUSS – Fundo Social dos Servidores aconteceram esses dois eventos. Primeiramente, a diretoria do Colégio Vitória fez a entrega dos certificados de conclusão de curso às colegas profissionais que prestam serviços nas Casas de Apoio.

Como não poderia ser diferente, a entrega dos diplomas deu-se num clima de muita alegria e satisfação, inclusive pelo fato de que as formandas já estavam no exercício de suas funções e receberam sua qualificação que foi integralmente custeada pela FAMESP – Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar. Por sinal, esta formação profissional, sem sombra de dúvidas, trará muito mais benefícios aos usuários das Casas.

Ainda na mesma oportunidade os presentes puderam tomar conhecimento da nova diretoria que comandará a APTO, nos próximos quatro anos. Também de maneira emocionante, um a um, os novos dirigentes se apresentaram.

Essa importante entidade foi criada no início de 2006 e apenas dois anos depois, através de um projeto de lei do vereador Reinaldo Mendonça Moreira, conquistou o título municipal de UTILIDADE PÚBLICA. Infelizmente por motivos estruturais, a “associação” não decolou e ficou desativada até o final do mandato do seu primeiro presidente, o meu amigo João Afonso Lucchetta.

Neste ano, algumas figuras (pacientes e funcionários ligados aos setores de Transplantes e Hemodiálise e, principalmente as Casas de Apoio), com aval da FAMESP, na pessoa do seu Diretor Presidente, Professor Pasqual Barretti, “arregaçaram as mangas” e deixaram essa “baita” preciosidade que tem a missão, entre outras atuações importantes, de contribuir na captação de doadores de órgãos, bem mais adequada. Daqui pra frente, com certeza, essa instituição de extrema utilidade pública irá contribuir sobremaneira na vida de muitos pacientes que buscam insistentemente recuperar a sua saúde.

Até como forma de “abraçar” todos os componentes desse “time” que terá a missão de “fazer a diferença” no dia a dia dessa importante entidade, transcrevo a composição da referida diretoria: Vanderlei Martins, presidente; Ariane Moysés Bravin, vice-presidente; Adriana Henriques Ribeiro, secretária; Lourdes Aparecida Destro Feitosa, 2ª secretária; Patrícia Emilia Corvino, tesoureira; Suelen Paganini de Almeida, 2ª tesoureira. CONSELHO FISCAL: Titulares, Marcos Roberto Luiz, Luiz Antonio Montanha e Fabiana Cristina Biral Rocha. Suplentes, Elenice Rolin da Silva, Elizângela Aparecida Batista de Oliveira. Diretor de Capitação de recursos, Doutor Pasqual Barretti; Assessoria Jurídica, Franceli Carolina de Almeida Pires.

Para concluir, desejo os parabéns às formandas desse valioso curso profissionalizante e uma feliz gestão aos integrantes dessa formidável entidade que, tenho absoluta certeza, trará benefícios infinitos a muitos dos nossos irmãos.

Tal qual uma criança feliz mando meu abraço carinhoso desta semana a uma das mulheres mais guerreiras que conheci em toda a minha vida; uma pessoa “dura”, que “pega” pesado, porém, possuidora de um coração extremamente macio e de muitas outras qualidades, que aniversariou no sábado que passou (11/10): minha querida esposa Rosalina Aparecida Destro de Almeida. Parabéns, pelo aniversário e por continuar tendo forças para me tolerar, querida Vovó Rose.

   

Rubens de Almeida – Alemão

alemao.famesp@gmail.com