Fatos e Relatos da vida: Os sacos de café e um pé de laranja lima

Na fazenda onde a flor do café, deixa o aroma suave,  nessa fazenda tinha um pé de laranja lima, o pé preferido de Maria Emilia, e também o cafezal em flor, as flores eram brancas e lindas como sempre duravam tão pouco e ligeiramente acabaram as flores e formam os frutos.  Os cafés tão bonitos, os grãos tão verdinhos, posteriormente vermelhos. A cor vermelha é o preferido de Maria Emilia, a cor do amor.

                Nesse ambiente florido e lindo ela conhece o amor, o amor ao seu grande e único amigo, dignos de uma adolescente de doze anos, o seu primo Joaquim, ele moço forte, já com dezoito anos, encantava a pobre moça com seus olhos azuis, ela sempre incumbida de levar pra ele na lavoura sempre o almoço e o café da tarde, lá eles conversavam por horas, até que quando já cansado de falar e colher o café das ramas, cantando para a casa retornava.

                Joaquim, já estava com seu namoro firme na cidade com a filha do João do mercadinho, a menina morena e de olhos pretos já tinha fisgado seu coração a cada ano, até que ela completou os dezesseis anos e pediu naquele ano sua mão. Todos já felizes com a notícia do namoro ficaram ansiosos para o casório, o pai de Joaquim lhe cedeu uma parte da fazenda onde moravam vários colonos, e parentes os pais de Maria Emilia também morava na mesma propriedade.

                O casamento foi lindo, Maria Emilia, conta e enche os olhos de lágrimas parece que tudo aquilo que guardou por anos passava como um filme em sua lembrança, ela estava de vestido azul turquesa com uma rendinha na cintura, por dentro me sentia pronta pra um velório, mais vendo meu primo e amor sendo feliz a confortava.

                Foram de certa forma feliz, Joaquim teve sempre a Maria Emilia como sua melhor amiga, a irmã que não tinha seus filhos hoje agricultores, um deles seguiu a cafeicultura como o pai, montou armazém e tem muito dinheiro, a outra menina se formou em veterinária, o mais novo ainda demorou em estudar algo ficou com um mercado na cidadezinha, conta bem convencida que também teve sucesso casou se com um amigo da escola e teve apenas uma filha a Maria Ana, assim todos formaram suas famílias. Esse ano é um pouco mais triste para Maria Emilia, seu primo Joaquim faleceu, ela ainda vai as missas aos domingos, mesmo já sendo viúva há algum tempo, pensa que poderia ter lhe dito um dia, uma das inúmeras vezes que ele se queixava das amarguras e provações da vida, ou quando vinha lhe visitar trazendo boas notícias de prosperidade.

                Na suas orações, único pedido, ainda que tardio que ele esteja em paz, e quando ela chegar lá onde ele está eles possam enfim se encontrar e ela poder dizer o quanto amou a vida toda. Assim é a história de Maria Emilia, entre os sacos de Café e um pé de Laranja Lima.