Estudantes da Unesp em Botucatu recebem 2ª dose da vacina contra Covid-19

Nem mesmo a torção sofrida no tornozelo durante um treino impediu que a estudante de Medicina, Suzana Alves, atendesse o chamado para receber a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Em uma cadeira de rodas, amparada por familiares, ela compareceu à Central de Aulas da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB/Unesp) na manhã desta quarta-feira (11) e disse “sim” à vacina.

“Com certeza é muito importante porque a primeira dose não é suficiente para gerar a imunização necessária. Como futura profissional da saúde e envolvida com atividades no hospital entendo que é de muita importância que eu venha a receber a segunda dose, assim como toda a população”, comenta.

A futura médica destaca o fato do estudo de efetividade da vacina Oxford/Astrazeneca ter garantido a chance para que toda a população do município seja imunizada praticamente ao mesmo tempo. “Não sou daqui mas Botucatu já é minha cidade do coração. É muito bom saber que estamos tendo a oportunidade de receber a vacina antecipadamente e a população deve valorizar isso”.

Suzana deixa um recado importante aos colegas estudantes. “Na primeira dose tive um pouco de febre e fiquei dois dias sem fazer muitas coisas. No terceiro dia já estava melhor. A reação não é nada perto da gratidão de receber uma vacina muito esperada. A pessoa deve vir se vacinar. Vale a pena”.

Estudantes dos cursos de graduação das quatro unidades do campus da Unesp em Botucatu estão sendo convocados para receberem a segunda dose da vacina. A comunidade estudantil já havia sido imunizada com a primeira dose no mês de maio. Essa nova etapa da ação se estenderá até o dia 13 de agosto, na Central de Aulas da Faculdade de Medicina (FMB), com apoio do Departamento de Enfermagem, da Seção Técnica de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (STAEPE) e da Diretoria Técnica de Serviços da FMB.

Nesta quarta-feira (11) foram vacinados os alunos dos cursos de Medicina e Enfermagem da Faculdade de Medicina e na sequência os alunos dos cursos de Ciências Biológicas, Ciências Biomédicas, Física Médica e Nutrição, do Instituto de Biociências de Botucatu (IBB). Na quinta-feira (12) será a vez dos estudantes da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), que serão atendidos das 7 às 13 horas. E na sexta-feira (13), no mesmo horário, serão imunizados os alunos da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA).

A imunização dos estudantes faz parte do projeto que estuda a efetividade da vacina Oxford-AstraZeneca) produzida no Brasil pela Fiocruz. A iniciativa é fruto da parceria entre o Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, Prefeitura de Botucatu, Universidade de Oxford, Laboratório AstraZeneca e Fundação Gates.

A professora Jacqueline Caramori, vice-diretora da FMB, acompanhou o trabalho durante a manhã. Ela destaca a consciência da comunidade estudantil sobre o papel que tem a cumprir para que a pandemia seja controlada e as atividades presenciais possam ser retomadas integralmente.

“Encontrei os estudantes com sorriso largo, de orelha a orelha. Cientes da responsabilidade com o coletivo, sabendo que a vacinação não só os protege como também protege a sociedade. E todos estão conscientes da importância de manter os cuidados, que incluem o uso de máscaras, o distanciamento, sabendo que os trabalhos têm que ter uma retomada gradual e obedecendo os protocolos sanitários. Felizmente não há nenhuma posição contrária e nesse sentido nós caminhamos lado a lado”.

Segundo ela, essa ação específica destinada a garantir a segunda dose aos estudantes de graduação foi necessária porque uma boa parte não pôde ser vacinada na campanha de vacinação em massa, ocorrida na cidade no último domingo (8). “Nem todos eles puderam ser atendidos pela campanha por conta dos critérios ligados ao domicílio eleitoral e comprovação de residência. Sabemos que os estudantes moram em grupos e nem todos têm comprovantes em seu próprio nome. Isso trouxe dificuldades. Mas são moradores de nossa cidade. Desde o primeiro momento os estudantes sempre foram uma prioridade para nós. Os estudantes da saúde foram incluídos no Plano Nacional de Imunização, mas isso não vale para todos. Nem todos foram contemplados. Nosso papel como gestores da universidade é falar por todos e por isso buscamos esse complemento”, explica.

O complemento do esquema vacinal dos alunos, a partir da segunda dose, já permite aos gestores das unidades da Unesp trabalhar no planejamento do retorno das atividades presenciais que ainda estão suspensas por conta da pandemia.

“O retorno estará a critério de cada unidade e cada curso. Na Medicina já estamos com atividades presenciais do segundo ao sexto ano e na Enfermagem do segundo ao quarto ano. Somente os ingressantes não estão presencialmente, mas já temos atividades programadas para o começo de setembro aos estudantes que estiverem vacinados. Esse retorno tem sido gradual no sentido de oferecer as práticas que são fundamentais para os cursos da saúde”, finaliza Caramori.

Balanço

A enfermeira Ivana Regina Gonçalves, supervisora técnica do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) supervisionou os trabalhos neste primeiro dia de vacinação dos alunos. Segundo ela, a procura foi boa. Na soma dos seis cursos da FMB e do IBB foram imunizados 514 estudantes.

As unidades já estão preparadas para fazer contato com os faltosos para convencê-los a tomarem a vacina. “Vamos em busca de quem não aderiu. Vamos ligar, fazer uma busca ativa. A gente sabe que só teremos a proteção quatorze dias depois da segunda dose. Não queremos que ninguém fique de fora”, ressalta Ivana.