Polícia investiga se mecânico que desapareceu durante temporal foi jogado em rio após briga em Botucatu

Reprodução TV Tem

A Polícia Civil investiga se o mecânico que desapareceu no Rio Lavapés, em Botucatu (SP), durante a tempestade do dia 24 de novembro foi jogado na correnteza após uma briga.

Segundo a polícia, testemunhas disseram que Ângelo Aparecido Oyan se envolveu em uma briga com outros dois homens e eles teriam jogado o mecânico no rio.

De acordo com o delegado Geraldo Franco, esses dois homens foram identificados e já foram ouvidos pela polícia. Eles confirmaram que discutiram com o mecânico quando estavam próximo ao rio.

Os dois contaram que estavam registrando com o celular a forte correnteza e Ângelo tentava passar pelo local e teria ido tirar satisfação com os homens porque não queria ser filmado. No entanto, os homens negaram que jogaram o mecânico no rio.

“Eles disseram que o desaparecido se desequilibrou e caiu no rio. Mas, essa versão não é muito convincente. Se isso realmente aconteceu, por que não foi solicitado o socorro? Por isso, estamos investigando a suspeita de tentativa de homicídio”, destaca o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, as buscas pelo mecânico que tinham sido encerradas na última quinta-feira (29) serão retomadas nesta terça-feira (4).

“Para continuidade da investigação é necessário o laudo da perícia no corpo, se ele realmente tiver caído no rio naquelas condições que estava no dia dos fatos, dificilmente tenha sobrevivido, por isso as buscas serão retomadas.”

Os dois homens suspeitos de envolvimento no desparecimento do mecânico foram ouvidos e liberados enquanto as investigações estão em andamento.

Desaparecimento

O mecânico foi visto pela última vez quando passava por um trecho da ponte sobre o Rio Lavapés que ficou inundado durante o temporal do dia 24 de novembro.

Ângelo Oyan chegou a falar com a família pelo celular informando que iria tentar outro caminho para chegar em casa. Depois dessa ligação, a família não teve mais notícias do mecânico.

As buscas por ele foram iniciadas no dia 26 de novembro depois que a família registrou o desaparecimento do mecânico. Mas, depois de percorrerem toda a área do Rio Lavapés até desembocar no Tietê, os bombeiros encerraram as buscas aguardando novas informações das investigações da Polícia Civil.

A corporação explicou ainda que os trabalhos de buscas vinham sendo feitos com dificuldade por causa da sujeira e de galhos que foram arrastados pela enxurrada para o leito do rio.

Fonte: Portal G1