Reunião dá os primeiros passos para a recuperação do Museu do Café na Fazenda Lageado em Botucatu

Museu do Café em Botucatu é patrimônio tombado pelo Condephaat

Reunião no Gabinete da Prefeitura (Lelo Pagani/divulgação Facebook)

A restauração do Museu do Café da Fazenda Lageado foi tema de uma reunião na tarde desta quarta-feira, dia 15, na Prefeitura de Botucatu. A informação foi publicada nas redes sociais pelo Vereador Lelo Pagani (PSDB).

Atualmente o Museu do Café da Fazenda Lageado está fechado para o público, mas o estado de abandono preocupa. A bandeira foi levantada pelo Acontece Botucatu em reportagem de março deste ano (ver link ao final do texto), que revelou a situação do local.

A Área Histórica da fazenda é patrimônio tombado desde 2013 pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), como bem de interesse histórico, arquitetônico, artístico, paisagístico, ambiental e turístico.

Participaram da reunião o prefeito Mário Pardini, o Deputado Federal Herculano Passos, a ex-Deputada Rita Passos, Prof. Dirceu Fernandes, Diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu, Roberta Sogayar, Secretária Municipal do Turismo e Vanda Mangili, assessora do deputado Herculano Passos.

Segundo publicou Lelo Pagani, o Deputado Herculano Passos fez uma orientação sobre como encaminhar o projeto e documentação necessários para a recuperação. O Parlamentar faz parte da Comissão Federal de Turismo do Congresso Nacional.

A Fazenda Lageado pertence à Unesp (Universidade Estadual Paulista) e desde a chuva que devastou a cidade em meados de fevereiro de 2020, o acesso ao local ficou restrito. A pandemia reforçou a ação da Universidade que deixou o local longe do alcance popular.

Segundo as direções de FCA e FMVZ/Unesp, o fato de não haver circulação de pessoas na área histórica, somada à redução do quadro de servidores por conta das aposentadorias no período e do afastamento de servidores pertencentes ao grupo de risco das atividades presenciais, fez com que a Diretoria da FCA optasse por espaçar as atividades de limpeza da área e das edificações históricas, como forma de otimizar os serviços realizados nos 2520 hectares das suas Fazendas de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Fechado ao público há um ano, Museu do Café da Fazenda Lageado apresenta aspecto de abandono