Embraer vende 12 aviões Super Tucano à Nigéria para combater rebeldes

O governo da Nigéria anunciou a compra de 12 aviões de ataque leve A-29 Super Tucano, da Embraer Defesa & Segurança (EDS). A aeronave turboélice brasileira será configurada para missões de suporte aéreo tático de combate. O valor do negócio é estimado em US$ 250 milhões, segundo fontes do setor. O primeiro lote, de quatro unidades, deverá ser entregue no segundo semestre.

Os modelos A-29 serão produzidos na fábrica da EDS em Jacksonville, na Flórida, e adaptados às especificações nigerianas pela americana Sierra Nevada Corporation (SNC). O Super Tucano é usado por 14 forças armadas. Acumula 46 mil horas de combate e 360 mil horas de voo. Leva até 1,5 tonelada de foguetes e bombas guiadas.

O Super Tucano será destinado pela Nigéria a operações contra rebeldes islâmicos no Norte do país, virtualmente controlado pelos violentos movimentos Boko Haram e Ansaru. A meta é estabelecer um território independente regido pela sharia, a lei muçulmana. Uma coalizão militar de quatro países enfrenta a ofensiva dos radicais.

A conclusão dos militares ocidentais é de que a tropa da Nigéria não tem tido sucesso na campanha de repressão. A aviação, particularmente, teria sérias dificuldades para manter a interdição e a destruição de alvos na zona de selva – uma modalidade de uso em que o A-29 Super Tucano já mostrou eficiência.

Potencialmente rica e integrante da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a Nigéria tem 198 milhões de habitantes.

Fonte: Portal Terra