Aulas continuam sem previsão de retorno no estado de SP

O Governador João Doria apresentou nesta quarta-feira (27) o Plano São Paulo para reabertura de setores da economia durante a quarentena de enfrentamento ao coronavírus. A partir de 1º de junho, índices de ocupação hospitalar e de evolução de casos em 17 regiões do estado vão definir cinco níveis restritivos de retomada produtiva segundo critérios médicos e epidemiológicos para que o sistema de saúde continue em pleno funcionamento.

Veja aqui https://acontecebotucatu.com.br/geral/alimentacao-comercio-shopping-e-saloes-de-beleza-sao-as-atividades-que-poderao-funcionar-em-botucatu-segundo-o-governo-do-estado/

Outros setores, porém, ainda seguem paralisados. A educação, bastante aguardada, não retornará junto com as atividades comerciais flexibilizadas a partir de junho por região.

A retomada das aulas presenciais em todo estado não tem nenhuma previsão, de acordo com o que foi divulgado pelo Governo do Estado.

Na última semana, o secretário estadual da educação, Rossieli Soares, disse que o governo de São Paulo prepara o desenvolvimento de quatro fases para a retomada completa das aulas. Na primeira delas, de acordo com o secretário, será feito um rodízio de alunos, com apenas 20% indo para as aulas presenciais.

Segundo Rossieli Soares, essa primeira fase pode ter início em julho. Ele ressaltou, porém, que é a saúde e a ciência que vão determinar quando será o melhor momento para os alunos retornarem à sala de aula.

Na mesma situação de indefinição se encontra o retorno da capacidade total das frotas de transportes. Também continua a interdição total de espaços públicos, teatros, cinemas e eventos que geram aglomerações – festas, shows, campeonatos etc – permanece por tempo indeterminado.

Achatamento

Durante a coletiva, o governo defendeu as medidas de isolamento estabelecidas no estado desde o início de março e disse que embora o número de casos ainda seja crescente, há indícios de desaceleração da epidemia no estado.

“A nossa curva é 10 vezes menor exatamente pelas medidas adotadas e por esse controle que está sendo feito. E também estamos verificando uma desaceleração do crescimento a epidemia, ainda estamos, sim, na etapa de crescimento, mas com crescimento em ritmo menor”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

O estado de São Paulo chegou a 6.423 mortes causadas pelo novo coronavírus, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado nesta terça-feira (26). Foram confirmadas 203 mortes em 24 horas.

Há 86.017 pessoas com diagnóstico de Covid-19 no estado. Das 645 cidades de São Paulo, 511 têm pelo menos um caso confirmado e 244 ao menos um óbito causado pela doença.