Você já ouviu falar em Cleantechs? Saiba mais sobre esse ramo crescente no Brasil

Uma empresa de vendas tem como objetivo principal vender produtos, correto? Errado! Esse conceito já ficou para trás, abrindo espaço para aquelas que cumprem também uma função social, deixando clara a preocupação com o bem-estar das pessoas e com o meio ambiente.

E é cada vez mais concretizada a ideia que as “tecnologias limpas” vieram para ficar e são o norte a ser seguido na atual sociedade. O Brasil ainda engatinha nesse sentido, mas já conta com mais de uma centena de empresas do ramo.

De acordo com o infográfico produzido pelo time Betway Cassino, site de caça níquel online, o país conta atualmente com 136 empresas classificadas como cleantechs. Das 136 empresas mapeadas, 41% atuam no seguimento de energia limpa.

As cleantechs atuam em diferentes segmentos de mercado, que podem ser:

Energia Limpa

O segmento de energia limpa toma conta dos seguintes atributos:

  • Eólica
  • Solar
  • Combustíveis renováveis
  • Energia dos oceanos
  • Biomassa
  • Geotérmico
  • Células de combustível
  • Resíduos
  • Nuclear
  • Hídrica.

Armazenamento de Energia

Já armazenamento de energia vislumbra melhorias nos seguintes componentes:

  • Sistema de armazenamento químico
  • Sistema de armazenamento térmico
  • Sistema de armazenamento mecânico
  • Sistema de armazenamento elétrico.

Eficiência

O segmento de eficiência vigia atividades como:

  • Redes inteligentes (smart grids)
  • Arquitetura verde (green building)
  • Cogeração
  • Semicondutores
  • Sistemas de consumo colaborativo.

Transporte

No segmento de transporte, temos os seguintes elementos:

  • Veículos
  • Gestão de tráfego
  • Infraestrutura e abastecimento/carregamento.

Ar & Meio Ambiente

O segmento de ar e meio ambiente, por sua vez, abraça os itens a seguir:

  • Sequestro de carbono
  • Mercado de carbono
  • Controle de emissões
  • Biorremediação
  • Reaproveitamento de resíduos
  • Monitoramento e conformidade

Indústria Limpa

No setor de indústria limpa, temos:

  • Inovação em materiais
  • Inovação em design
  • Inovação em equipamentos
  • Processos produtivos
  • Monitoramento e conformidade
  • Embalagem ecológica.

Água

As cleantechs que se especializam no segmento de água se preocupam com:

  • Produção
  • Tratamento
  • Distribuição
  • Eficiência no uso da água
  • Monitoramento e conformidade.

Agricultura

Por fim, temos o segmento da agricultura, que visa o desenvolvimento sustentável de atividades como:

  • Cultivo
  • Agricultura em ambiente controlado
  • Silvicultura sustentável
  • Criação de animais
  • Agricultura.

Cidades Inteligentes – Botucatu entre as 50

Botucatu população

Naturalmente, as cleantechs têm impacto direto no modo com o qual as smart cities, ou cidades inteligentes, são construídas, já que alinham suas tecnologias àquelas aplicadas no município.

Campinas, maior cidade do interior de São Paulo, é considerada a mais inteligente e conectada do Brasil em 2019, segundo a quinta edição do Ranking Connected Smart Cities. Botucatu ficou na 49ª posição, na frente de municípios como Itu, Americana, Marília, entre outras.

Não é a primeira vez que Botucatu aparece nessa lista. Em 2017, por exemplo, ficou na 48ª posição. Em 2018 a cidade ficou na 51º posição, ou seja, subiu 3 postos para este ano e continua sendo a única cidade da região a ficar entre os 100 municípios mais bem classificados.

O ranking é elaborado pela consultoria Urban Systems em parceria com a empresa de organização de eventos Sator. Para compor o indicador final, o estudo leva em consideração 70 indicadores, que têm relação com mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia.

Na edição de 2019, o ranking incorporou seis indicadores novos baseados na Norma Técnica ISO 37120, que são o uso de veículos de baixa emissão de poluentes, dois critérios relativos à força de trabalho — percentual da força ocupada em setores de tecnologia e comunicação e percentual da força ocupada nos setores de educação e pesquisa —, numero de computadores e laptops em escolas públicas, percentual de resíduos plásticos recuperados na cidade e percentual da população que vive em regiões de baixa e media densidade.

Há uma pontuação de peso 1 para 69 variáveis e peso 0,5 para a escolaridade do prefeito. Dessa forma, a pontuação máxima deste ano é de 69,5. Campinas, a cidade primeira colocada, registrou 38,977 pontos.

Para o ranking final, é feito um mapeamento em todas as cidades brasileiras com mais de 50 mil habitantes (666 municípios). Há avaliação de cidades entre 50 mil a 100 mil habitantes, de 100 a 500 mil e acima de 500 mil.

Veja abaixo o ranking das 100 cidades classificadas.

1º           Campinas – SP   38,977

2º           São Paulo – SP   38,505

3º           Curitiba – PR       38,016

4º           Brasília – DF        37,979

5º           São Caetano do Sul – SP               37,816

6º           Santos – SP         37,458

7º           Florianópolis – SC             37,258

8º           Vitória – ES          36,814

9º           Blumenau – SC  35,731

10º         Jundiaí – SP         35,417

11º         Campo Grande – MS      35,219

12º         Niterói – RJ         35,172

13º         Belo Horizonte – MG      34,941

14º         Rio de Janeiro – RJ           34,741

15º         Joinville – SC       34,699

16º         Itajaí – SC             34,604

17º         Balneário Camboriú – SC              34,591

18º         São Bernardo do Campo – SP     38,977

19º         Palmas – TO        38,505

20º         Porto Alegre – RS             38,016

21º         Piracicaba – SP   34,076

22º         Valinhos – SP     34,073

23º         Recife – PE          34,062

24º         Jaguariúna – SP 34,048

25º         Ribeirão Preto – SP         33,950

26º         Maringá – PR      33,840

27º         Araras – SP          33,671

28º         Uberaba – MG  33,517

29º         Sorocaba – SP    33,480

30º         São José dos Campos – SP           33,448

31º         Presidente Prudente – SP           33,371

32º         Juiz de Fora – MG            33,253

33º         Londrina – PR     33,146

34º         São José do Rio Preto – SP           32,981

35º         Petrópolis – RJ   32,903

36º         Santo André – SP             32,895

37º         Pato Branco – PR              32,703

38º         Indaiatuba – SP 32,647

39º         Salvador – BA     32,539

40º         Goiânia – GO      32,531

41º         Jaraguá do Sul – SC          32,290

42º         Macaé – RJ          32,259

43º         Cuiabá – MT       32,075

44º         São Sebastião – SP          32,042

45º         Guarulhos – SP  32,020

46º         Paulínia – SP       31,936

47º         Lins – SP               31,917

48º         Resende – RJ     31,910

49º    Botucatu – SP   31,887

50º         Itu – SP 31,831

51º         Bragança Paulista – SP   31,780

52º         Santana de Parnaíba – SP             31,771

53º         Foz do Iguaçu – PR          31,708

54º         Dourados – MS 31,703

55º         Praia Grande – SP            31,699

56º         Americana – SP 31,647

57º         Uberlândia – MG             31,640

58º         Marília – SP         31,628

59º         Barueri – SP        31,618

60º         Limeira – SP        31,613

61º         Itatiba – SP          31,573

62º         Linhares – ES      31,518

63º         Cascavel – PR     31,493

64º         Nova Lima – MG               31,445

65º         Vinhedo – SP     31,437

66º         Betim – MG        31,416

67º         Pouso Alegre – MG         31,280

68º         Jaboticabal – SP 31,248

69º         Natal – RN           31,192

70º         Caxias do Sul – RS            31,162

71º         Fortaleza – CE    31,156

72º         Atibaia – SP         31,144

73º         Rio Claro – SP     31,137

74º         Itumbiara – GO 31,131

75º         Chapecó – SC     31,126

76º         Sertãozinho – SP              31,115

77º         Ipatinga – MG    31,044

78º         Amparo – SP      31,044

79º         Salto – SP             31,041

80º         São Carlos – SP  30,963

81º         Toledo – PR        30,928

82º         Hortolândia – SP               30,924

83º         Colatina – ES       30,881

84º         Osasco – SP        30,854

85º         Jataí – GO            30,832

86º         Viçosa – MG       30,757

87º         Araraquara – SP                30,695

88º         Umuarama – PR               30,681

89º         Cachoeiro de Itapemirim – ES    30,681

90º         Montes Claros – MG      30,678

91º         Lençóis Paulista – SP       30,641

92º         Ouro Preto – MG             30,625

93º         Teresina – PI      30,608

94º         Erechim – RS      30,483

95º         Registro – SP      30,418

96º         Tubarão – SC      30,409

97º         Araçatuba – SP  30,309

98º         Lorena – SP         30,280

99º         Rondonópolis – MT         30,136

100º       Porto Ferreira – SP          30,131