Botucatu e região da bacia do Médio Tietê se unem em busca de recursos pela Fehidro

A Prefeitura de Botucatu, na última sexta-feira (27), serviu de encontro para prefeitos dos municípios que fazem parte do setor inferior da Bacia Hidrográfica dos Rios Sorocaba e Médio Tietê (CBH-SMT). O ponto principal da reunião foi discutir o funcionamento do comitê e como elaborar projetos para obtenção de recursos junto ao Fehidro (Fundo Estadual de Recurso Hídricos).

Além do prefeito de Botucatu, Mário Pardini, e do secretário municipal do Verde, Márcio Vieira, estiveram presentes representantes de Anhembi, São Manuel, Porangaba, Torre de Pedra e Conchas. As discussões foram intermediadas pelo atual presidente do Comitê Sorocaba Médio Tiete, Wendell Wanderley; diretor técnico da Fundação Agência do Sorocaba Médio Tietê, James Martins; e o coordenador da Câmara Técnica de Planejamento de Recursos Hídricos, André Cordeiro.

“As prefeituras normalmente são pequenas e sem uma equipe técnica apresentam dificuldades em elaborar bons projetos ao Fehidro. Neste sentido, aqueles que estiveram presentes nesta primeira reunião do ano se mostraram bastante interessadas em construir projetos coletivos (regionais), fato que beneficiaria a possibilidade de maior repasse de recursos, bem como redução de contrapartidas e maior interesse socioambiental na região”, argumenta o secretário do Verde de Botucatu, Márcio Vieira.

Sobre o Comitê Sorocaba Médio Tiete

O Comitê de Bacia Hidrográfica Sorocaba e Médio Tietê (CBH-SMT) foi formado com grande apoio da sociedade civil e dos prefeitos, em 2 de agosto de 1995. As principais preocupações compartilhadas entre os três segmentos que nortearam a formação do Comitê de Bacias do Sorocaba e Médio Tietê foram a poluição das águas do Tietê e o reservatório de Itupararanga, principal manancial da bacia do Sorocaba.

Trata-se de um colegiado que cuida da gestão ambiental de uma das mais importantes áreas do estado de São Paulo, constituído por 34 municípios, órgãos do estado e representantes da sociedade civil organizada. Abrange uma área de 11.829 km² drenagem, uma população aproximada de 1,8 milhão de moradores e um grande polo industrial com mais de 8 mil indústrias, e diversas unidades de conservação como uma extensão significativa de afloramento do Aquífero Guarani, além de mananciais e remanescentes da mata atlântica.

Em mais de uma década de existência, tem contribuído para o fortalecimento do sistema estadual de recursos hídricos, orientado pela Lei 7.663/91. O Comitê também conta com a Fundação Agência de Bacias dos Rios Sorocaba e Médio Tietê, criada em janeiro de 2003 para apoio técnico, administrativo e financeiro ao Comitê.

Os municípios que fazem parte deste Comitê são: Alambari, Alumínio, Anhembi, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Bofete, Boituva, Botucatu, Cabreúva, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Conchas, Ibiúna, Iperó, Itu, Jumirim, Laranjal Paulista, Mairinque, Pereiras, Piedade, Porangaba, Porto Feliz, Quadra, Salto, Salto de Pirapora, São Roque, Sarapuí, Sorocaba, Tatuí, Tietê, Torre de Pedra, Vargem Grande Paulista e Votorantim.