Matando no Peito, com Zé Airton – 25/05/2019

= RELEMBRANDO: ADPTimão =

Foi naquela ensolarada manhã do dia 27 de julho de 2000 (domingo) que lá no magnífico tapete verde do campo suíço da A.A.Ferroviária, a famosa equipe de futebol do ADPTIMÃO (Adeptos do Timão) de nossa cidade recebeu para disputa de partida amistosa a aguerrida equipe do ADPTPalmeirinha (Adeptos do Verdão) da Cidade de Manduri (SP).

            Após os 80 (oitenta) minutos de um futebol society bem jogado, a vitória sorriu para nossas cores pelo elástico placar de 7×5 e a equipe vencedora composta por membros e amigos de nossa família, conforme foto acima, formou com:

De pé: Pivô GU ARBEX – Fixo CACAU ARBEX – Volante CARLÃO –  Capitão ZÉ AIRTON – Batalhador PAULO NINJA e Seguro MAURÍCIO, o Fogo.

Abaixados: Mascote feminina BRUNA; Polivalente MARCOS ARBEX, o Cabeça – Artilheiro nato WAGUINHO, o Bolota – Irrequieto PAULO ARBEX, o Bala –  Gerentão ZEZO –  Sub Gerente LUQUINHA e o mascote masculino PEDRINHO.

            Grande jornada esportiva!!

 

=– RECORDANDO – VII SETEMBRO – 64=

            Uma mescla de jovens valores que despontavam no juvenil com alguns atletas experientes, foi essa a formação que a aguerrida equipe do VII de Setembro, lá da Vila Pinheiro, apresentou no ano de 1964, para a disputa do nosso Amadorzão.

            Escalados e dirigidos pelo saudoso LAMIL DOS SANTOS, antes de mais uma partida oficial, na foto acima posam alinhados em Antonio Delmanto as seguintes feras:

Em pé: JURA – DENA – PANIN – BUTIGNHOLI – MIXIRICA – ZÉ PRETINHO e o técnico LAMIL.

Abaixados: TÉTE – NARDO GUERREIRO – QUIABO – ZÉ MARIA LOBO e o MIRA.

            Esse era nosso futebol de outrora, quantas saudades…

 

=SE É FOTO É FATO=

            Caso você leitor amigo ainda não saiba a origem dos cartões amarelo e vermelho aplicados no futebol, leia abaixo:

            Conta-se que nos anos 60 do século passado, como a violência e indisciplina corriam soltas no gramado, houve a necessidade de se criar um método de puni-las e foi aí que certo dia o árbitro inglês Aston, parado num semáforo enquanto aguardava o sinal abrir, teve a idéia e criou uma simbologia de cartões semelhante ao daquele aparelho luminoso: o Amarelo seria uma advertência para que o atleta se contivesse e o Vermelho o impedia de prosseguir jogando.

            Acontece que até hoje os únicos detalhes negativos desta “estória” são alguns motoristas ignorantes que não respeitam os semáforos e muitos árbitros mais ignorantes ainda que não sabem aplicar corretamente os cartões criados desde 1966.

            Coisas do futebol!!!

=PERGUNTA DA SEMANA=

P – OUTRO DIA MEU NETO PERGUNTOU: VÔ, QUAL É O COLETIVO DE POBRE? ? ? ?.

R- CONFESSO QUE NÃO SOUBE RESPONDER E REPASSEI PARA MEU AMIGO, JOSÉ LUIZ HUNGARO, PROFUNDO CONHECEDOR DA LÍNGUA PORTUGUESA…

ESTE NA BUCHA MANDOU LÁ DA CAPITAL: “-ZÉ, O COLETIVO DE POBRE É ÔNIBUS”.

=EPÍLOGO=

“A GRANDEZA NÃO ESTÁ EM RECEBER HONRARIAS, MAS SIM EM PODER FAZER POR MERECÊ-LAS”.