Matando no Peito, com Zé Airton – 14/07/2018

 

=RELEMBRANDO – CARAMURU F.C.=

Na foto anexa do CARAMURU F.C. datada de 02/Fev/65, retrata bem o que foi o futebol caboclo da criançada de antigamente que hoje tantas saudades nos trás pois tempos modernos o substituiu.

Eram garotos de mesma família, amigos mais chegados, colegas de grupo, etc… que se uniam, faziam uma vaquinha para a compra da “redonda”, confeccionavam seu uniforme e construíam na “unha”, naquele terreno baldio, o seu campinho de traves de bambu, onde batiam a sua bolinha diariamente e aos domingos o tradicional “combate” com equipes de outros bairros, de vilas e do centro.

Seu distintivo era o índio famoso, sua camisa tinha uma listra transversal de uns da direita para a esquerda, de outros vice-versa e assim o CARAMUMRU F.C., lá da tradicional Vila Mariana, está assim alinhado:

Em pé: BAIANO – ARI RIBEIRO – JAIR – GORDO – ANTONIO CARDOSO e o ZÉ DESESPERO.

Abaixados: FIRPE RIBEIRO – GANSO – ELIAS CARAMELO – TONINHO PNEU e a fera, nosso prezado amigo corintiano LUIZ CARAMELO.

Gente fina, amigos e grandes esportistas…

 

=RECORDANDO –  IECA 51=

            Não nos cansamos de citar, sempre que surge a oportunidade, que em nossa época de adolescente, e faz tempo isso, nossas escolas tinham verdadeiros esquadrões de futebol de campo.

            Um exemplo bem claro disso é a da foto acima que mostra a poderosa equipe da tradicional ESCOLA NORMAL (hoje EECA) do ano de 1951, posando no campo da A.A.B., formando com:

            Em pé: BAUER – CARLOS PIRES – NAUL BUCHIGNANI –  MILTON – RENATO MELO – AGOSTINHO e NILSON.

            Abaixados: RUBENS – DELEN – TRAJANO COTRIM – PEDERNEIRAS e  CELSO COTRIM.

            Belo time…

 

=NOSSO ESPORTE – NOSSA GENTE=

Dentre as inúmeras “estórias” folclóricas que ouvimos dos nossos prezados amigos Caramurenses, esta não sei não, mas vai lá: “Combate” difícil lá no Monte Selvagem, zona rural do município, domingo chuvoso, bola pesando o dobro e eis que o endiabrado ponteiro Luiz Caramelo escapa pela esquerda e faz cruzamento milimétrico para a área caindo o “esférico” para o sem pulo do meia Toninho Pneu, homem que tinha uma bomba (caramuru) nos dois pés…

Não deu outra e aquele “bólido” vai de encontro ao travessão que se parte ao meio e cai na cabeça do assustado goleiro local que desmaia no ato e só volta a si, após haver recebido atendimento médico adequado aqui no Pronto Socorro…

A estória é essa, acredite quem quiser, mas nós temos uma certeza, “não era a toa que esse time tinha o nome dessa famosa marca de bombas e morteiros de hoje”.

 

=EPÍLOGO=

“MULHER CASADA QUANDO RESOLVE DAR UM AMASSO PEDE O CARRO PRO MARIDO”.