Matando no Peito, com Zé Airton – 01/07/2017

 

=RELEMBRANDO – EQUIPE DO BAC 70=

Se possível fosse retornar no tempo e se colocar em campo para representar nossa cidade nos principais campeonatos paulista de futebol profissional da atualidade a equipe da foto acima, temos plena certeza que o sucesso seria absoluto.

Ela retrata o plantel do BOTUCATU ATLÉTICO CLUBE, na década de 70, posando para as objetivas em Acrisio Paes Cruz, assim alinhado:

Em pé: CAVALEIRO – ROBERTO –  CHICÃO –  FOTE –  LEVINO –  CHICO ROMANHOLI –  CÉIA –  BARRANCO e o  NIVALDINHO.

Abaixados: ARLINDO – PARANÁ – RENATINHO – DANIEL – ZÉ ITO – CID CORVINO e o MÁRCIO.

            Foi um celeiro de grandes craques essa conhecida equipe do BAC e representava condignamente as tradições esportivas da nossa querida Vila Aparecida.

Alguns desses amigos já nos deixaram e descansam em Paz.

 

=RECORDANDO – BTC 1961=

Apresenta sempre lembranças agradáveis a fase áurea que viveu o futebol de salão de nossa cidade na década dos anos 60 ocasião em que promovidos pela LBFS daquela época sensacionais e competitivos Campeonatos eram disputados lá no Ginásio do BTC…

Uma dessas lembranças foi a portentosa equipe montada pelo BTC para disputa de citados campeonatos, cuja foto já cinqüentenária trazemos hoje para conhecimento de nossos prezados leitores assim alinhada:

DE PÉ: DIRETOR ZÉ ARRUDA – FELIPE – ARGEU MAURICIO – BOGUS – JOSÉ ROBERTO QUINTEIRO e o NELIO DE CASTRO.

ABAIXADOS: MÁRIO MESSIAS – SANTA RITA – DEMA VICENTINI – ADEMARZINHO e o BETO FURQUIM.

Alguns desses amigos já no deixaram e descansam em PAZ…

 

=SE É FOTO É FATO=

Contam-nos alguns amigos mais usados, aqueles que já ultrapassaram a barreira dos “oitentinha”, que na sua época de jovens, em nossa cidade, havia somente uma banda de música em atividade.

Certa feita referida “furiosa” recebeu convites para participar e abrilhantar dois acontecimentos que seriam realizados em locais diferentes, porém no mesmo horário o que os obrigou a decidirem se abrilhantavam importante solenidade religiosa na praça da Catedral ou uma também importante partida de futebol lá nos altos da cidade.

Maestro e músicos optaram pela segunda hipótese e foram ao jogo o que propiciou a revolta da autoridade religiosa da época, que prognosticou: “- Nesta terra o futebol não vingará”!

Dito e feito, pois, conforme salienta o vulgo popular, praga de padre pega mesmo e o nosso profissionalismo foi definhando, definhando e sumiu, sendo que até hoje, após seu falecimento, nunca mais deu sinal de vida…

São coisas do folclore esportivo desta urbe. Vero ou non???

 

=EPÍLOGO=

“TODAS AS MÃES DÃO DE MAMAR POR PRIMEIRO O SEIO ESQUERDO TALVEZ POR ESTAR ESTE MAIS PERTO DO CORAÇÃO”.