Nova praça de pedágio entre Botucatu, Pratânia e São Manuel começa a funcionar em breve

 

ViaPaulista/Divulgação

Mais um pedágio será instalado na região que compreende Botucatu, Pratânia e São Manuel, desta vez na Rodovia SP 255, a João Melão. A informação foi dada pela própria concessionária Arteris ViaPaulista em comunicado via e-mail na tarde de quinta-feira, 03.

O pedágio será no Km 229, mais 40 metros. É bom salientar que trata-se de um trecho que no mapa que reúne os municípios de Botucatu, São Manuel e Pratânia na SP-255, a João Melão, via que também leva até Avaré. Esse corredor sempre foi muito criticado por apresentar um alto índice de acidentes nas últimas décadas.

Além do início de funcionamento das praças de pedágio, a concessionária também anunciou que a duplicação da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-255), no trecho de Araraquara a Jaú, deverá começar no segundo trimestre deste ano.

A concessionária estima para o fim deste mês início da cobrança de tarifa em cinco praças de pedágio instaladas em Boa Esperança do Sul, Jaú, Itaí, Coronel Macedo e a praça localizada entre os municípios de Botucatu, Pratânia e São Manuel. O plano de concessão foi aprovado no governo passado.

Em dezembro de 2018, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) autorizou a concessionária a iniciar a operação de suas praças de pedágio. O início efetivo, porém, depende da autorização da Secretaria dos Transportes. Os valores não foram informados.

Lembrando que desde 2009 existe uma praça de pedágio entre Botucatu e São Manuel, esta localizada na Rodovia Marechal Rondon (SP-300), trecho administrado pela Rodovias do Tietê. Outra praça na região, esta mais antiga, está localizada na Rodovia Castelo Branco, no município de Itatinga.

Região

Além da duplicação, as obras no trecho entre Jaú e Araraquara incluem a construção de bases de Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU). O prazo de conclusão é de quatro anos e o investimento previsto é de R$ 338 milhões. No total, de acordo com a ViaPaulista, 286 quilômetros serão duplicados em 10 anos, com investimentos na ordem de cerca de R$ 1,8 bilhão, e 47 trevos em desnível (viadutos) serão construídos ao longo de todo o trecho sob concessão.