Botucatu poderá ter TV Unesp; passo importante foi dado após reunião

Na tarde de 07 de maio, representantes de todas as unidades e institutos da Unesp em Botucatu, da Fundunesp e da Reitoria participaram de uma reunião com o prefeito municipal Mario Eduardo Pardini Affonseca. O objetivo do encontro foi discutir o apoio da Prefeitura Municipal para que a cidade se torne a primeira a receber uma retransmissora da TV Unesp.

A autorização para que o sinal da TV Unesp seja retransmitido para Botucatu se deu a partir de uma Portaria do Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, publicada no Diário Oficial da União de 06 de abril. Depois de Botucatu, outras cinco cidades que sediam câmpus da Unesp deverão retransmitir o sinal do canal de televisão universitário.

A implantação de estações retransmissoras faz parte do planejamento da TV Unesp para ampliar sua área de cobertura e atuação, atendendo as demandas por produção e divulgação de conteúdo educativo, voltado para o desenvolvimento das localidades a serem alcançadas.

A TV Unesp, sediada em Bauru, atende atualmente apenas esta cidade, com uma população de cerca de 340 mil pessoas. A partir da instalação das retransmissoras, a população estimada atendida pela TV será de aproximadamente 600 mil pessoas. Assim, a Unesp será a primeira universidade no País a contar com uma rede de TV aberta voltada para a disseminação do conhecimento teórico e prático construído pela universidade e pela sociedade.

O professor José Paes de Almeida Nogueira Pinto, assessor do Gabinete da Reitoria, representou o reitor Sandro Roberto Valentini no ato. “Os municípios com os quais conversamos têm mostrado interesse em receber essas retransmissoras. A TV Unesp oferecerá uma programação diferenciada em relação ao que vem sendo oferecido pelas emissoras comerciais e trará ganhos para todos os envolvidos”.

A Fundação para o Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp) esteve representada na reunião pelos professores Edson Luiz Furtado (presidente) e Vanderlan Bolzani (vice-presidente).

“Esperamos que já no segundo semestre estejamos transmitindo o sinal da TV Unesp para Botucatu. Num segundo momento, esperamos que seja possível gerar conteúdo a partir das unidades aqui de Botucatu, incluindo programas de divulgação e até cursos e aulas”, comentou o professor Furtado.

“A divulgação científica é fundamental e esse é o momento propício para mostrarmos as coisas boas feitas no país. A sociedade ainda não percebe claramente os benefícios gerados pela ciência. A universidade e o poder público têm essa obrigação fundamental”, complementou a professora Bolzani.

O professor Francisco Machado Filho, diretor da TV Unesp, afirmou que a expansão da TV é a realização de um sonho que vem desde sua implantação, em 2005.

“Hoje, com a possibilidade da transmissão via internet, com o barateamento dos equipamentos e também por conta da política de migração do contexto analógico para o digital, temos o contexto adequado para que isso ocorra. A televisão começará a sair de Bauru e ser vista em cidades importantes como Botucatu, prestando serviços de comunicação e de formação científica para essas localidades”.

Machado Filho reafirmou a perspectiva de, em médio prazo, estabelecer a produção de conteúdos locais. “Esse plano tem um custo, tanto de equipamentos quanto de profissionais. O que precisaremos é investir nas estruturas locais de comunicação que as unidades da Unesp já têm. Imaginamos que isso vai criar uma grande unidade na nossa programação”.

Sobre o apoio da Prefeitura de Botucatu, o diretor da TV esclareceu. “O que precisamos, primeiramente, é de um local para instalação de antenas e de um transmissor. Também vamos solicitar apoio na interlocução com os empresários locais para nos ajudar a custear a implantação desses equipamentos e viabilizar economicamente o projeto. Ainda temos aspectos para conversar, mas o mais importante é que a TV Unesp quer estar presente aqui e a Prefeitura entende a importância desse fato”.

O professor Celso Antonio Rodrigues, diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) e presidente do Grupo Administrativo do Câmpus de Botucatu (GAC) falou sobre a relevância do projeto. “A proposta de ter a TV Unesp retransmitindo e gerando conteúdo em Botucatu, com a possibilidade de divulgar esse conteúdo em outras localidades, nos seduz muito. Enxergamos isso como uma oportunidade ímpar para a cidade e para as unidades locais da Unesp. Nos esforçamos ao máximo para ter Botucatu como uma cidade pioneira nesse processo de expansão”.

O diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), professor Carlos Frederico Wilcken, ressaltou a importância social da iniciativa. “O conteúdo gerado e transmitido pela TV Unesp poderá ser adequado para ajudar na formação dos alunos de ensino fundamental e médio, a partir dos exemplos que temos na universidade. É uma ação social ligada à educação para democratizar a informação e o conhecimento”.

O prefeito municipal Mario Pardini reforçou seu apoio à iniciativa. “Estamos convencidos da importância e da grandeza dessa ação. Sabemos do valor do aspecto educacional que a TV Unesp vai proporcionar. Estamos dispostos a, conjuntamente, buscar formas de financiar esse projeto. É importante fazermos um esforço para conseguir um aporte de recursos privados, pois os desafios que a universidade vive nós também vivemos aqui na Prefeitura. Mas estamos ombreados com a Unesp nessa decisão de implantar a televisão aqui”.

Também participaram da reunião na Prefeitura de Botucatu os professores César Martins, diretor do Instituto de Biociências; Cezinande de Meira, vice-diretor da FMVZ; Maria Cristina Pereira Lima, vice-diretor da Faculdade de Medicina; Adalton Mazetti Fernandes, coordenador executivo do Centro de Raízes e Amidos Tropicais; Celso Luís Marino, coordenador executivo do Instituto de Biotecnologia; Benedito Barravieira, coordenador executivo do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (Cevap) e Rui Seabra Ferreira Júnior, ex-coordenador executivo do Cevap; e os secretários municipais André Spadaro (Saúde), André Godinho (Comunicação) e Fábio Vieira de Souza Leite (Gestão e Planejamento Estratégico).