Agora é oficial: Sabesp e Prefeitura assinam aditamento de contrato para construção de represa

Acontece Botucatu

Prefeitura de Botucatu e Sabesp assinaram na tarde desta terça-feira, dia 12, o aditamento de contrato com o município. O ato ocorreu na cidade de São Paulo, mais precisamente no prédio da presidência da empresa e contou com as presenças do Prefeito Mário Pardini e o Presidente da Sabesp Benedito Braga.

Os vereadores Ednei Carreira (Presidente da Câmara) e Sargento Laudo acompanharam, assim com o Vice-Prefeito André Peres. Ricardo Borsari, Diretor de Sistema Regionais da Sabesp, esteve presente no ato de assinatura.

Com a assinatura, a Sabesp assume de forma oficial todo o projeto da represa que será construída no Rio Pardo. A obra deve resolver pelas próximas décadas o problema de abastecimento em Botucatu, evitando que a cidade seja atingida pelas crises hídricas no estado.

Basicamente o adito em contrato vai inserir no cronograma da Sabesp uma obra que não estava incluída no contrato de renovação assinado em junho de 2010, com duração de 30 anos. Vale lembrar que o contrato da Sabesp com o Município foi renovado em 2010, na gestão do então Prefeito João Cury.

“Destaque absoluto para o empenho do Prefeito Mário Pardini. Isso tem que ser creditado a ele, que se esforçou e se dedicou muito para isso. Hoje assinamos o contrato e se tudo correr bem, já que licitação é uma coisa difícil de se avaliar, a expectativa é de que em 120 dias as obras tenham início”, disse Ricardo Borsari, Diretor de Sistema Regionais da Sabesp, após a assinatura.

Essa é a última etapa de uma intensa agenda que culminou com a liberação da Arsesp da obra por parte da (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo). Com isso, o edital de licitação para a construção já está liberado.

A construção da barragem de água está orçada em aproximadamente R$ 50 milhões e as desapropriações de terra giram na casa dos R$ 12 milhões, valores que serão assumidos pela Sabesp. Por não estar em prevista em contrato, esses valores serão discutidos derradeiramente pela empresa na próxima semana.

O objetivo é construir uma barragem em uma área na região da cachoeira Véu de Noiva, um dos locais públicos mais acessados de Botucatu. O complexo recebe as águas do Rio Pardo, que abastece a maior parte de Botucatu e região.

O projeto

De acordo com informações passadas ao Acontece Botucatu, essa barragem iria funcionar como um grande reservatório de água bruta. Dessa maneira, estaria garantido o abastecimento em períodos de estiagem ou crises hídricas, como a vivida em 2014/2015.

A primeira função dessa barragem será de abastecimento público, mas a represa terá múltiplos usos. Ela poderá ter a vazão regularizada para que produtores rurais utilizem a água para suas produções e colheitas, segundo o projeto.

As indústrias também poderiam ser beneficiadas. Assim se evitaria cenários como em 2014, quando a Duratex deixou de produzir durante três dias, pois não tinha água para resfriar suas caldeiras.

A barragem terá uma vazão de 1000 litros por segundo. Isso significa mais que dobrar a capacidade de produção de água de Botucatu mesmo em períodos de crise hídrica. Isso permitiria a utilização para o seu quarto objetivo, o turístico, que poderia gerar renda para o município, como ocorre com as represas Billings e Guarapiranga em São Paulo.