Medicina implanta laboratório para inovar ensino

Desde janeiro deste ano, professores da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) têm ? disposição um laboratório equipado com diferentes recursos tecnológicos que podem ser utilizados para incremento de suas atividades acadêmicas. A estrutura foi montada na sede do Núcleo de Educação ? Distância e Tecnologias da Informação em Saúde (NEAD.TIS) da FMB – vinculado ? Seção Técnica de Apoio ao Ensino e Pesquisa (Staepe) e recebe o nome de Laboratório de Práticas e Inovações em Saúde (LaPIS).

Essa iniciativa está em sintonia com a proposta do Programa “Graduação Inovadora na Unesp”, uma das principais frentes de 2014 coordenadas pela Pró-Reitoria de Graduação. A FMB captou, por meio de edital PROGRAD 2013, R$ 60 mil para serem investidos nessa nova estrutura pedagógica.

“Temos dedicado constantes esforços para aproximar os professores da FMB e o NEAD. O objetivo é que possamos, juntos, pensar em estratégias inovadoras para os cursos de Medicina e Enfermagem. Por isso, com esse novo ambiente, será possível que eles conheçam os recursos tecnológicos disponíveis”, afirma a coordenadora do NEAD.TIS, professora Denise Zornoff.

A proposta do LaPIS já foi apresentada para os chefes de departamento, conselho de curso de Medicina e na Congregação da FMB/Unesp. O próximo passo é realizar exposições individualizadas aos docentes sobre suas aplicações.

Os docentes da FMB podem utilizar o LaPIS para preparar videoaulas, aulas interativas, transformar arquivos 2D em 3D e até filmar procedimentos médicos como forma de aprimorar a formação de alunos da graduação e também de médicos residentes. Há, ainda, a possibilidade de contar com a assessoria personalizada dos técnicos do NEAD.TIS, conforme a necessidade dos docentes. “Os recursos tecnológicos nunca vão substituir o professor, mas eles podem ser usados para tornar as aulas mais dinâmicas e atraentes”, acrescenta Zornoff.

O laboratório dispõe de sala equipada para a produção de apresentações multimídia, gravação de webconferências e exploração de dispositivos móveis no ensino. Fazem parte do acervo do LaPIS os seguintes equipamentos: smart TV, câmera web, microfone sem fio, ipad, macbook, câmeras de ação, votador interativo, quadro branco magnético, projetor interativo (semelhante ? lousa digital), console X Box, kinect e totem touch screen.

{n}Quem testou, aprovou {/n}

O neurocirurgião e professor do Departamento de Neurologia, Psicologia e Psiquiatria da FMB/Unesp, Dr. Marco Antônio Zanini, procurou o LaPIS com objetivo de aperfeiçoar o aprendizado dos médicos residentes de sua especialidade. Por duas vezes, Zanini utilizou a câmera de ação para filmar e transmitir, em tempo real por meio de um ipad, uma neurocirurgia. “Com a utilização desse recurso é possível filmar e compartilhar com os residentes todas as etapas da cirurgia. Depois, ainda é possível editar o vídeo e discutir o procedimento em nossas reuniões semanais com a participação dos residentes e de alunos do 6º ano de medicina”, destaca o professor.

Segundo Zanini, se não fosse dessa forma, os alunos que ainda estão na graduação não teriam a oportunidade de acompanhar uma neurocirurgia desde a história do paciente até a operação. “A qualidade da imagem é muito boa. Outra vantagem é que os residentes não precisam ficar aglomerados próximo ao paciente, no campo cirúrgico, para acompanhar a cirurgia. Assistem tudo ? distância, pelo ipad. Reduz, inclusive, os riscos de infecção para o paciente”, esclarece.

Para o especialista, a implantação do LaPIS foi um grande avanço para a FMB, por poder contar recursos tecnológicos importantes para aprimorar as metodologias de ensino.

Da Assessoria