Veterinária continua vacinação contra cinomose

No próximo final de semana, dias 22 e 23, acontece mais uma etapa da campanha de vacinação contra a cinomose no distrito de Rubião Júnior, promovida pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu.

A vacinação acontece no estacionamento do Posto de Saúde de Rubião Jr., na rua Vicente Pimentel, n° 35, das 8h30 ? s 17h30. Também haverá vacinação nos dias 29 e 30 de junho. Todos os animais vacinados nesse mês deverão tomar uma segunda dose em julho e os filhotes (até 4 meses de idade) receberão uma terceira dose no mês de agosto.

A campanha é direcionada exclusivamente para cães do distrito de Rubião Júnior e tem o caráter de ser um “piloto” para outras iniciativas, segundo a professora Jane Megid, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da FMVZ. “Pela proximidade da Faculdade e pelo número elevado de casos atendidos pelo Serviço de Enfermidades Infecciosa dos Animais da FMVZ, vamos iniciar por Rubião Jr. Se a iniciativa der certo, o objetivo é expandir para outras áreas periféricas de Botucatu onde a doença é um problema. É um projeto em que a Faculdade vai em direção ? comunidade”.

{n}A doença{/n}

A vacinação é o único meio eficiente para a profilaxia da cinomose. A doença é altamente contagiosa e incurável. Ela provoca alterações digestórias, respiratórias e neurológicas. A doença atinge e é transmitida pelos cães, sem preferência por raça ou sexo, porém tem maior incidência em cães entre três e seis meses de idade e ainda não vacinados. Ela também é observada em animais adultos não vacinados ou sem imunidade prévia.
Ela apresenta sintomas digestivos, respiratórios ou neurológicos.

Dependendo do tipo de manifestação da doença, pode haver uma associação desses sinais e sintomas com quadro evolutivo que culmina com a morte do animal. “Depois que o animal adoece, os veterinários têm muito pouco a fazer”, reafirma a professora Jane.

Além de vacinar os animais contra a cinomose, a campanha tem o objetivo de esclarecer os proprietários sobre a necessidade de vacinação e da severidade da doença visando com isto uma redução gradual dos casos.