Secretaria de Saúde emite boletim sobre H1N1; Vigilância se incomoda com informações desencontradas

Na tarde desta segunda, 28, a Secretária Municipal de Saúde publicou uma nota sobre a real situação de possíveis casos da H1N1 em Botucatu. Em contato com a reportagem do Acontece Botucatu, o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Claudio Lucas Miranda, se mostrou incomodado com algumas notícias publicadas na manhã de hoje, o que causou certa confusão nos telefones da Vigilância Epidemiológica.

Em tom de desabafo ele comentou o assunto.“Quando nós erramos, acho justo que se noticie. Mas quando não há erro ou não existe divulgação de números, acho de certa forma irresponsabilidade propagar uma informação sem antes checá-la”, coloca o Secretário de Saúde. 

Dois casos são suspeitos de H1N1 em Botucatu. São duas mulheres que a vieram a óbito após serem internadas por problemas respiratórios. O Instituto Adolfo Lutz investiga os casos através de exames laboratoriais. 

A nota enviada pela Assessoria de impresa da Prefeitura diz:

Diante de informações desencontradas que têm circulado através de alguns meios de comunicação e ganhado proporção nas redes sociais, a Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu, através de seu Núcleo de Vigilância Epidemiológica, informa que neste último fim de semana houve a notificação de dois casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, com possibilidade de infecção por H1N1, ambas internadas no Hospital Unimed Botucatu.

O primeiro caso trata-se de uma mulher de 40 anos, internada por suspeita de alterações abdominais que no decorrer de sua internação evoluiu com o aparecimento de sintomas respiratórios importantes. Foi necessária a intervenção imediata da equipe médica do Hospital Unimed, mas que, infelizmente, mesmo com todos os cuidados intensivos, evoluiu ao óbito poucas horas após o início dos sintomas. 

O segundo caso, trata-se de uma mulher de 46 anos, internada no Hospital Unimed por um quadro dermatológico associado a uma pneumonia. Também acabou evoluindo com piora importante do quadro respiratório e, mesmo após receber cuidados intensivos, veio a falecer pouco menos de 24 horas após a admissão na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Unimed Botucatu.

Nos dois casos citados acima foi realizada a necropsia e todos os exames necessários para a confirmação diagnóstica foram colhidos, sendo encaminhados ao Instituto Adolf Lutz, através do seu laboratório de referência para casos suspeitos de Influenza H1N1. 

A Secretaria Municipal de Saúde ainda aguarda os resultados para descartar ou confirmar tais casos. Não houve nenhum outro caso suspeito ou confirmado de Influenza H1N1 na cidade de Botucatu, até o presente momento.
 

Campanha de vacinação será em abril

A Secretaria de Saúde de Botucatu informa que a campanha nacional de imunização contra Influenza, conforme calendário do Ministério da Saúde, está programada para o dia 30 de abril de 2016, e, até o momento, não há nenhuma alteração desta data por parte do referido Ministério.

A imunização para H1N1 está indicada para os seguintes grupos: crianças a partir de 6 meses à menores de 5 anos; gestantes e puérperas; idosos acima de 60 anos e doentes crônicos com recomendação médica; profissionais de saúde, e população indígena.
 

Orientações:

– Ao procurar assistência médica, informe os sintomas na recepção da unidade de saúde;
– Não vá à escola ou ao trabalho caso apresente sintomas respiratórios;
– Evitar aglomerações e ambientes fechados;
– Permanecer em casa até 24 horas após o desaparecimento dos sintomas;
– Grávidas, crianças, portadores de doenças crônicas e idosos são mais vulneráveis às complicações da gripe e portanto, devem redobrar os cuidados;
– Manter a caderneta de vacinação atualizada;
– Cobrir sempre o nariz e a boca ao tossir ou espirrar (usar lenços descartáveis ou proteger com o braço/antebraço);
– Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
– Lavar as mãos com frequência com água e sabão ou utilizar álcool em gel;
– Manter os ambientes domiciliares e de trabalho bem arejados e ventilados;
– Manter higienizados equipamentos de ar condicionado;
– Manter uma boa alimentação e hidratação, além de hábitos saudáveis;