Saúde inicia pela Medicina/Unesp visitas a centros de pesquisas

Representantes do Decit (Departamento de Ciência e Tecnologia), vinculado ? Secretaria de Ciência, Tecnologia, e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, iniciaram, pela Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), visitas técnicas a unidades integrantes da Rede Nacional de Pesquisa Clínica- RNPC. O objetivo foi discutir propostas de ação na área de pesquisa clínica e estreitar contatos com o governo federal na busca de apoio e incentivo a iniciativas surgidas na instituição.

A visita também possibilitou que pesquisadores vinculados ? Unesp, em específico ? Faculdade de Medicina, pudessem conhecer as ações do ministério para a pesquisa. Representaram o órgão federal as coordenadoras de pesquisa clínica do Decit, Ana Patrícia de Paula e Clarissa Campos Guaragna Kowalski.

Profª Silvana Schelinni, vice-diretora da FMB, durante recepção ? s representantes do Decit, enfatizou o intuito da faculdade em consolidar a pesquisa clínica e a implantação da estrutura física com a construção da Upeclin (Unidade de Pesquisa Clínica). Ela ainda frisou a criação de fundos de apoio a estudos clínicos contemplados pela instituição. “O Ministério da Saúde pode ser o nosso parceiro no fomento de pesquisas que beneficiem a população”, ressaltou.

Coordenadora geral de Pesquisa Clínica do Decit, Ana Patrícia frisou os incentivos que o Ministério da Saúde tem fornecido aos pesquisadores, desde linhas de financiamento até projetos quanto a registro de patentes. Para ela, os hospitais vinculados ? s universidades (como é o caso do Hospital das Clínicas/Unesp) e instituições de ensino têm se mostrado estratégicos para a consolidação da Rede Nacional de Pesquisa Clínica. “O ideal é que todos os hospitais de ensino estejam ligados a esta rede de pesquisa. O que tentamos fazer é com que a universidade abrace a pesquisa clínica”, declarou.

Segundo a coordenadora, as visitas aos centros de pesquisa clínica servem para levantar a realidade de tais locais, suas características de atuação regional e o comportamento dentro da Rede Nacional de Pesquisa Clínica. “O papel do Ministério da Saúde e principalmente do Decit é reconhecer as dificuldades que cada um dos membros da rede para ajudar a se ajustarem”, complementou.

As representantes do Decit também percorreram o complexo Faculdade de Medicina/Unesp e HC. Entre os locais visitados estavam o Departamento de Patologia, os laboratórios de Biologia Molecular, instalações do Hemocentro e a própria Upeclin.

O coordenador da Upeclin da FMB/Unesp, prof. Carlos Antonio Caramori, ressaltou que o contato com os órgãos de fomento e apoio ? pesquisa são essenciais para a inserção da FMB como um dos mais importantes centros de pesquisa clínica do país. “A Upeclin tem se tornado modelo entre os demais centros de pesquisa por seguir tanto roteiros quanto processos administrativos”, disse.

{n}Upeclin terá novo pavimento e ampliará capacidade de pesquisa{/n}

Inaugurada oficialmente em dezembro de 2009, a Unidade de Pesquisa Clínica- Upeclin- a unidade será ampliada, com a construção do segundo andar da sede, no campus de Rubião Júnior da Unesp. Serão destinados espaços para guarda de medicamentos, arquivo, pequeno auditório para reuniões, além de áreas de monitoria e administração. Os recursos para a ampliação serão do FINEP e as obras terão início no segundo semestre deste ano.

A Upeclin está instalada em um prédio 600 metros quadrados de área construída que conta com 10 consultórios e oito leitos, além de completa infra-estrutura para pesquisa clínica. O investimento total foi de R$ 1,2 milhão.

“Hoje usamos a parte da estrutura atual de atendimento em pesquisa para questões administrativas. Tendo estes espaços específicos, a capacidade de receber mais estudos também será ampliada”, realçou prof. Caramori.

A Upeclin poderá realizar a fase clínica (pesquisa em seres humanos) de projetos encaminhados por todas as unidades da Unesp, empresas farmacêuticas e também de outras instituições do Brasil, desde que o produto em desenvolvimento tenha a qualidade exigida. Já ocorrem ensaios clínicos multicêntricos desenvolvidos em parceria por várias unidades da Rede Nacional de Pesquisa Clínica.

Fonte:
Unesp/Faculdade de Medicina/Botucatu e Hospital das Clínicas
Assessoria de Comunicação e Imprensa