Samu faz campanha para diminuir o número de trotes

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu – 192), regional de Botucatu, inicia nesta terça-feira (15) o projeto Samuzinho. As primeiras escolas a receberem o projeto serão a Professor Paulo Guimarães e Professor Martinho Nogueira, com atividades marcadas a partir das 7h10 e 12h30, respectivamente.

Ele irá promover educação em saúde junto aos alunos dos quintos anos das escolas da rede municipal de ensino (gradualmente serão incluídos alunos da rede estadual e particular), além de esclarecer dúvidas sobre a importância da atuação do serviço pré-hospitalar dentro da Rede de Urgência e Emergência. Este mesmo projeto também já é realizado com sucesso no Distrito Federal, Ribeirão Preto, e outros municípios do País.

O objetivo é diminuir o número de trotes (hoje em Botucatu o índice corresponde a 5% dos chamados) e conscientizar sobre as consequências deste ato. Ao mesmo tempo as crianças serão agentes multiplicadoras do trabalho executado pelo Samu, ou seja, poderão levar a familiares e amigos noções básicas para identificar casos que precisem de fato do serviço de saúde e como proceder em cada um deles.

As crianças terão a oportunidade de conhecer a ambulância, os equipamentos e suas finalidades, e participar de atividades de primeiros-socorros. Também será distribuído um folder educativo elaborado pela própria equipe do Samu.

“Queremos mostrar a estas crianças que nosso trabalho pode ser melhor utilizado pela população para salvar vidas. E quando falamos em salvar vidas, cada segundo é crucial. Toda ambulância e equipe de profissionais que deslocamos a um local, sem necessidade, deixamos de atender uma pessoa que esteja com a saúde mais debilitada ou mesmo em risco de morte. Sem falar no desperdício de recurso público gerado a cada trote cometido”, argumenta a enfermeira Priscila Masquetto Vieira de Almeida, coordenadora regional do Samu.

Em três anos de atuação em Botucatu e região, o Samu recebeu cerca de 100 mil chamados. Deste volume, foi preciso enviar ambulância a 23 mil casos para atendimentos, principalmente por agravos de causa clínica e traumática. O atendimento de urgência e emergência é realizado tanto nas residências, quanto nos locais de trabalho ou vias públicas. O socorro é feito logo após chamada gratuita pelo telefone 192.