Representante africano conhece Hemocentro da Unesp

A Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), em conjunto com o Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) recebeu, entre os dias 15 e 20 de maio, visita técnica do representante de um banco de sangue instalado no Benin, país da África Ocidental.

Representante do Hemocentro da capital do país africano (Cotonou), Daniel Atcha, realizou, junto com uma comitiva, visitas a hemocentros espalhados pelo país para aprender sobre as técnicas mais recentes em relação ao ciclo de sangue. Devido a um convênio firmado entre os Ministérios da Saúde e Relações Exteriores do Brasil e Benin.

A visita foi motivada pelo programa existente no Brasil que visa o treinamento a gestores e técnicos de equipamentos dos Hemocentros do país. Esse tipo de iniciativa teve início em 2008 e ocorre desde agosto do ano passado em Botucatu. O objetivo de tais capacitações é direcionar toda a hemorede nacional para um modelo comum que tem como resultado a qualidade da coleta e fornecimento de sangue.

“Essa troca de conhecimento que pudemos oferecer com a visita do representante do Benin serviu para que haja novas perspectivas de acordos e intercâmbios”, ressaltou o engenheiro eletrônico e clínico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, Manoel Álvaro Guimarães, responsável pelo Centro Tecnológico e Engenharia Clínica (CETEC).

Segundo ele, o representante africano conheceu o processo usado pelo Hemocentro do HCFMB para o gerenciamento e manutenção dos equipamentos usados nos diversos serviços prestados pela unidade. “Para a Unesp é importante ser um dos principais centros de formação de profissionais da área e a presença de representantes da África para aprenderem como realizamos nossos processos de manutenção a coloca em evidência internacional”, complementou Guimarães.

Ele frisa que a escolha do HCFMB para sediar tais capacitações veio em 2009, quando uma pesquisa feita pela Coordenadoria de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde junto aos 32 Hemocentros Coordenadores, apontou que o Hemocentro de Botucatu era o que melhor possuía condições físicas e profissionais para ministrar esses treinamentos.

Até o momento já foram realizados quatro treinamentos para um total de 32 gestores, incluindo a visita internacional desta última semana, assim como sete treinamentos técnicos, para 42 funcionários de Hemocentros que fazem sua reciclagem teórica e prática dos principais equipamentos e tecnologias instalados dentro dos Hemocentros. Restam ainda três turmas técnicas a serem treinadas, totalizando 60 técnicos com conhecimento atualizado em todo o Brasil.

As próximas fases do projeto do Ministério da Saúde serão contemplados treinamentos avançados em calibração de equipamentos, incertezas na medição dos mesmos e gestão de riscos, todos em negociação.

Fonte:Flávio Fogueral/ Jornal da FMB