Novo sistema busca dar maior eficiência ao Samu

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Botucatu acaba de adquirir um novo sistema de comunicação que irá auxiliar muito a rotina de trabalho e otimizar ainda mais o tempo de resposta no atendimento à população. Os celulares foram substituídos por rádios de alta frequência, instalados na Central de Regulação, ambulâncias e que inclusive podem ser carregados de forma portátil pelo profissional que estiver em plena ação.

Além dos aparelhos, foi instalada uma TV 42 polegadas também na Central de Regulação do Samu. O sistema interage com o Google Earth e permite traçar a melhor rota até o local do chamado, observando possíveis trechos em congestionamento e que possam  atrapalhar o deslocamento das viaturas. A intenção é que, com o tempo, as bases e viaturas em Pardinho, Areiópolis e Anhembi que estão integradas com a Central de Regulação de Botucatu, também possam contar com este mesmo serviço de comunicação.

“Nossa intenção é diminuir ainda mais o tempo resposta de atendimento ao cidadão, que hoje é de 12 minutos em média. Ainda estamos no período de testes, mas já deu para observar que este sistema ajudará muito no nosso serviço porque possibilita um monitoramento em tempo real das nossas equipes na rua, inclusive detalhando a velocidade das ambulâncias. Sem falar que o rádio consegue ser mais eficiente que o sinal do celular, especialmente nas áreas mais distantes como a zona rural”, avalia a enfermeira Priscila Masquetto Vieira de Almeida, coordenadora geral do SAMU regional Botucatu.

 

Telefone 192

O Samu realiza o atendimento de urgência e emergência sempre quando acionado pelo telefone gratuito 192. Ele funciona 24 horas por dia e atende às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, ginecológico-obstétrica e de saúde mental da população.   

Em Botucatu o serviço está em operação desde julho de 2011 e abrange também os municípios de Pardinho, Areiópolis e Anhembi. Ele já atendeu a mais de 150 mil ligações pelo telefone gratuito 192, além de ter enviado ambulâncias a cerca de 30,9 mil casos.

A equipe é formada por profissionais de saúde como médicos reguladores e intervencionistas, telefonistas auxiliares de regulação médica (TARM), rádio operadores (RO), enfermeiros, técnicos/auxiliares de enfermagem, condutores socorristas e lavadores de ambulância. 

Entre o deslocamento da ambulância e o tempo de resposta efetivo do paciente, o tempo de atendimento em Botucatu gira em torno de 7 a 12 minutos em média. O preconizado pelo Ministério da Saúde é que o serviço seja realizado no máximo em 15 minutos.   

Essa agilidade no atendimento tem ajudado a reduzir o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce como nos casos de AVC (Acidente Vascular Cerebral).  O Samu de Botucatu está entre os melhores serviços do Estado de São Paulo e um dos mais bem avaliados do Brasil.