Botucatu recebe 13 médicos para a Atenção Básica

A partir desta sexta-feira (7), Botucatu passa a contar com a colaboração de mais 13 médicos dentro da Atenção Básica da Saúde e que estão distribuídos nas seguintes unidades de saúde: Comerciários, Marajoara, Peabiru, Santa Elisa, Cecap, Jardim Cristina, Aeroporto (2), e Distrito de Rubião Júnior (3). Eles fazem parte do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), instituído pelo Ministério da Saúde, que é responsável pela contratação destes profissionais.

Para receber a bolsa federal no valor de R$ 10 mil mensais e a bonificação nas provas de residência médica, os profissionais devem cumprir 32 horas semanais de atividades práticas nas unidades de saúde e 8 horas de atividades acadêmicas no curso de especialização em Atenção Básica oferecido pela Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UnA-SUS).

A avaliação é realizada pelo supervisor direto do profissional e pela equipe da unidade de saúde em que o médico atua. Somente os que cumprem as atividades estabelecidas pelo programa e recebem nota mínima (sete) na avaliação têm o benefício da pontuação adicional de 10% nos exames de residência médica.

{n}Ampliação da assistência{/n}

A recepção destes 13 novos profissionais foi feita pelo coordenador médico Paulo Machado; coordenadora da Atenção Básica, enfermeira Ana Lúcia Forti Luque; além de Daniela Silva e Telma Medeiros, gerente e supervisora da Fundação UNI, respectivamente.

Estes novos médicos se juntam a outros 100 que já fazem parte da Rede Municipal formada por 14 equipes de saúde da família, seis unidades básicas tradicionais, dois Centros de Saúde Escola (parceria com a Unesp), Espaço Saúde e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Para o secretário municipal de Saúde, Claudio Lucas Miranda, quem mais se beneficia deste aumento no quadro de médicos da Cidade é a própria população. “Na hora de distribuir estes profissionais na Rede Básica levamos em conta critérios como demanda e perfil populacional de cada região. Assim temos a certeza que a assistência médica será ampliada efetivamente, colaborando para a melhora da qualidade do serviço prestado na ponta, especialmente nas localidades mais carentes”, ressalta.