Botucatu é premiada por trabalho enfocando DST

Botucatu obteve o segundo lugar no Prêmio Luiza Matilda, promovido dentro do X Congresso da Sociedade Brasileira de DST e VI Congresso Brasileiro de AIDS, realizado em São Paulo, no período de 17 a 20 de maio, pela Sociedade Brasileira de Doenças Sexualmente Transmissíveis (SBDST). 

O prêmio faz referência à Luiza Matilda, pediatra que lutou incansavelmente pela eliminação da sífilis e do HIV, mas que faleceu em 19 de janeiro de 2014. Foram premiadas as três melhores experiências bem sucedidas, referentes à eliminação da Transmissão Vertical do HIV e da sífilis, ou seja, quando a mãe transmite a doença ao feto no útero ou recém nascido durante o parto. [Saiba mais sobre essas doenças no site http://www.aids.gov.br/pagina/dst-1]

O objetivo do encontro foi oferecer atualização, discussão e novas propostas para prevenção, diagnóstico e tratamento das DST e HIV/aids e propor a execução de pesquisas clinicas em DST/AIDS, auxiliando na produção do conhecimento e divulgar a importância das DST como um problema de saúde pública.

Na oportunidade as enfermeiras da Secretaria Municipal de Saúde, Juliane Andrade (atual coordenadora municipal do programa de DST/aids) e Vivian Sauer Torres das Silva relato de experiência do município para o Enfrentamento da Sífilis Congênita, que desde 2012, tem desenvolvido ações para diminuição desse grave problema de saúde pública.

Ambas enaltecem que o prêmio é fruto de um trabalho conjunto de toda equipe de DST/aids de Botucatu: as agentes estratégicas de Saúde (Viviane S. Laurindo, Renata G. Eleutério, Adriana T. da Silva, Adriana de Oliveira e Cecília Angélica K. Carvalho); e todos os autores do projeto (Grupo de Vigilância Epidemiológica – GVE, Núcleo de Vigilância Epidemiológica Municipal, Unesp, e Unidades de Saúde).

“Esse prêmio traz uma mensagem muito importante aos profissionais de Saúde que são envolvidos no processo do cuidar, que continuem exercendo sua profissão com grandeza e dedicação e as gestantes que exijam o direito de ser testadas para HIV, sífilis, hepatite B e C, pelo menos no 1º e 3º trimestre, no momento do parto e ao tratamento adequado se necessário”, complementa a enfermeira Juliane Andrade.

 

Parceria com CTA e SAE

 

Em Botucatu, as unidades de saúde oferecem testagem rápida e diagnóstico de DST/aids ao longo de todo o ano. Os casos positivos de HIV são encaminhados ao Serviço de Assistência Especializada de Infectologia (SAE) Dr. Domingos Alves Meira (antigo Hospital Dia).

A Secretaria Municipal de Saúde também trabalha em parceria com o Centro de Aconselhamento e Testagem (CTA) instalado no Centro de Saúde Escola (CSE) da Unesp, na Vila dos Lavradores. Nele são realizadas orientações para prevenção e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis além da distribuição de preservativos.

A Secretaria de Saúde fornece medicamento para tratar as DST’s e algumas infecções do portador de HIV. Além disso, a equipe do programa DST/aids trabalha em parceria com diversos setores através de palestras, oficinas de sexo seguro, atendimentos individuais, e apoio a liderança LGBT.