Vândalo picha Câmara Municipal de Botucatu

Foto: Luiz Fernando

No início da madrugada desta quinta-feira (25), a Guarda Civil Municipal (GCM), de Botucatu, como os agentes Machado e Leite atenderam a um caso de vandalismo tendo como foco a Câmara Municipal de Botucatu, na Rua João Passos, Centro, escrevendo na parede a frase ameaçadora sobre a Copa do Mundo de 2014, prevista para ser disputada no Brasil: “# Não vai ter Copa”.

Os agentes estiveram no local após uma testemunha que passava de carro pela Rua João Passos visualizar a ação de vandalismo cometido por uma pessoa. Embora o patrulhamento pelas imediações do local tenha sido feito os autores do crime não foi localizado. Essa mesma frase de efeito é conhecida nas redes sociais do País e já foi escrita em diferentes cidades. São pessoas contrárias que usam atos de vandalismo para mostrar indignação com os gastos para realização da Copa do Mundo no Brasil.

Vale lembrar que o crime de pichação se caracteriza pelo o ato de escrever ou rabiscar sobre muros, fachadas de edificações, asfalto de ruas ou monumentos, usando tinta em spray aerossol, dificilmente removível, estêncil ou mesmo rolo de tinta.

No geral, são escritas frases de protesto ou insulto, assinaturas pessoais ou mesmo declarações de amor, embora a pichação seja também utilizada como forma de demarcação de territórios entre grupos – ? s vezes gangues rivais. Por isso difere-se do grafite, outra forma de inscrição ou desenho, tida no Brasil como artística.

A pessoa que picha ou grafita qualquer edificação urbana (prática comum no País), comete crime ambiental, com pena de detenção que pode variar de três meses a um ano, além de multa. Entretanto, se o ato for praticado em monumento ou coisa tombada, devido a seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena de detenção é mais pesada e pode variar de seis meses a um ano, além do pagamento de multa.