Trem descarrila na região central de Botucatu

Fotos: Valéria Cuter

Na manhã desta terça-feira (28), por volta das 5 horas, o descarrilamento de um trem de carga, da empresa América Latina Logística (ALL), por muito pouco não terminou em uma tragédia em Botucatu. Foi o segundo acidente ferroviário em menos de 24 horas ocorrido na região. Na madrugada da última segunda-feira (27) outro acidente foi registrado no Bairro da Igualdade, em São Manuel, quando vários vagões tanques de um trem carregando mais de 1,6 milhões de litros de óleo diesel descarrilaram e tombaram.

Embora no acidente em Botucatu não tenha havido o tombamento, o trem com 74 vagões puxado por duas locomotivas já entrando em área da antiga estação descarrilou e saiu dos trilhos andando por cerca de 800 metros, sobre os dormentes. As marcas dos rodeiros (rodas de aço) deixaram visível o caminho que o trem percorreu, até que o maquinista conseguisse frear.

O agravante que mesmo fora dos trilhos o trem passou por cima do Pontilhão Arlindo Granado, também conhecido como Pontilhão da Fepasa onde existe uma curva acentuada e só não tombou na Avenida Floriano Peixoto por muita sorte. Pouco antes de chegar ? curva do pontilhão o rodeiro direito da locomotiva subiu em um trilho auxiliar e, com isso, o lado direito ficou no trilho e o esquerdo continuou descarrilado em cima dos dormentes e isso evitou o tombamento.

O pontilhão por onde o trem passou descarrilado separa a região central da cidade com a Vila dos Lavradores, Vila Antártica, Jardim Paraíso, entre outros e é uma das vias mais movimentadas da Cidade com fluxo diário de milhares de veículos.

Esse trem partiu da Cidade de Votorantim com 74 vagões vazios e seu destino era Mato Grosso do Sul para transportar um carregamento de celulose, produto extraído do eucalipto para fabricação de papel e chapas de madeiras prensadas para confecção de móveis e divisórias. As causas de mais esse acidente ferroviário não foram reveladas e a direção da empresa alega que está sendo feito uma perícia para se saber os motivos de mais esse descarrilamento.

O ferroviário aposentado e sindicalista, Helio Maschetti, que acompanhou os dois acidentes nessas últimas 24 horas afirmou que o que está acontecendo é uma tragédia anunciada. “Foi um verdadeiro milagre o trem fazer a curva fora dos trilhos e não tombar na avenida e cair em cima de carros. Vai morrer gente se não for tomada uma atitude contra essa empresa (ALL), pois a manutenção dos trilhos é precária. É só caminhar pelos trilhos e ver que muitos dormentes de madeira estão apodrecidos, necessitando a troca por dormentes de concreto”, alerta Maschetti. “Estão esperando acontecer uma tragédia com vítimas fatais para fazer uma manutenção decente”, acrescentou.