Servente de pedreiro morre atropelado na Castelinho

A fatalidade teve dia, horário e local exatos: segunda-feira, 20h30, no km 20+600 metros da Rodovia João Hipólito Martins – Castelinho. A vítima foi o servente de pedreiro Maurício Batista, conhecido como Maurição, de 45 anos e que residia na região da Vila São Benedito.

Consta no relatório da Polícia Militar Rodoviária que este senhor estava no acostamento da rodovia e ao fazer a travessia foi colhido por um veículo VW Parati, com placas de Itatinga, conduzido por Eudes Gil da Silva, de 38 anos de idade.

Batista foi socorrido pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, que prestou os primeiros socorros, mas a vítima veio a entrar em óbito, antes mesmo de dar entrada ao Pronto Socorro (PS) da Unesp.

O caso foi encaminhado ao Plantão Permanente da Polícia Civil onde o delegado Marcos Sagin de Campos fez a confecção do Boletim de Ocorrência (BO). Silva alegou que trafegava em velocidade compatível ? pista, mas não teve tempo evitar a colisão em razão de a vítima ter atravessado a pista de maneira repentina.

{n}A tragédia se repete{/n}

Este mesmo trecho da Castelinho, ou seja km 20, foi palco de mais uma tragédia ocorrida neste mês, especificamente, ? s 4 horas da madrugada do dia 14, quando um casal veio a perder a vida em mais um trágico acidente, quando morreram Alessandro de Araújo da Silva (23) e Fabiana Amélia Rizzo (25).

O casal estava em uma motocicleta Honda modelo CBX 250cc, placa BYK-1866, (conduzida pelo rapaz), quando bateu na traseira de um caminhão guincho, que prestava atendimento a outro caminhão.

Segundo o relatório policial, a motocicleta quebrou três cones de sinalização que estavam na pista, antes de atingir a traseira do caminhão. Com o impacto da colisão, Alessandro e Fabiana, sofreram várias fraturas e morreram no local.