Prédio da Delegacia Seccional de Polícia vira atração

Quem, atualmente, passar em frente ao prédio da Delegacia Seccional de Polícia de Botucatu, no período noturno, vai notar que o local está com um novo visual. Isso porque foram instaladas lâmpadas que deixam o prédio iluminado durante toda noite. Embora a novidade tenha chamado a atenção, a claridade é uma determinação da Secretaria Estadual de Segurança Pública de São Paulo, com a finalidade de proteger as delegacias de possíveis ataques de bandidos e vândalos.

{bimg:5926:alt=interna1:bimg}

O delegado seccional, Antônio Soares da Costa Neto enfoca que o objetivo é padronizar a identificação visual das unidades policiais assim como das viaturas. “O que tem que prevalecer é o nome da Polícia Civil, que tem que ficar em destaque. Fizemos a iluminação da seccional, mas iremos iluminar todas as 25 delegacias das 13 cidades que fazem parte da área de comando da seccional de Botucatu”, previu Soares Neto.

{n}Sem mudanças{/n}

Circulou nos bastidores da Polícia Civil de Botucatu que o delegado seccional promoveria mudanças nos distritos, fazendo o remanejamento de delegados, mas essa informação foi negada. Segundo ele, o remanejamento que entendeu ser necessário foi feito e atualmente não pensa em mudanças.
“Quando tomei posse como delegado seccional fiz mudança em alguns distritos, com remanejamento de delegados e o resultado foi satisfatório. Por isso, no momento não haverá nenhuma novidade nesse sentido. Se eu entender que seja necessário, pode ter a certeza de que o remanejamento será feito, mas não é o caso. Estou satisfeito com a produtividade das delegacias”, colocou o seccional.

{n}Superlotação{/n}

O maior problema enfrentado pelo delegado seccional é com relação ? superlotação das cadeias públicas da região, mas ele entende que esse problema só será atenuado se for instalado um Centro de Detenção Provisória (CDP) para atender a demanda de presos.

“Não adianta querer tapar o sol com a peneira. O problema da superlotação existe e ele só será atenuado com a instalação do CDP, que poderia comportar até 700 presos. Nossa carência na região é de, aproximadamente 400 detentos. Então, sobrariam vagas. Estou batalhando pelo CDP há muito tempo, pois não vejo outra solução para evitar o excesso de presos e vou continuar discutindo o assunto com as autoridades da nossa região”, conclui o seccional.

Fotos: Valério A. Moretto