Polícia está atrás do estuprador de Porangaba

Segundo a vítima o crime foi cometido por um rapaz com idade entre 20 e 25 anos, moreno claro, baixo, forte, olhos castanhos claros, com uma tatuagem no braço direito, tipo tribal, trajado bermuda e camisa branca

 

A Polícia Civil  e Militar de Porangaca estão no encalço de um marginal acusado de ter cometido um estupro na noite de domingo, dia 10,  na Rua Dionísio José da Rosa, na Vila Gutierrez, em Porangaba, tendo como vítima uma mulher de 40 anos de idade.  Segundo a vítima o crime foi cometido por um rapaz com idade entre 20 e 25 anos, moreno claro, baixo, forte, com uma tatuagem no braço direito, tipo tribal, trajado bermuda e camisa branca. O rosto estava coberto com uma blusa preta dando para ver que  a cor dos olhos era castanhos claros. O caso está sendo investigado pela equipe do delegado Antenor de Jesus Zeque (foto).

Em razão da violência do ato a mulher foi internada no Hospital Municipal de Porangaba e relatou ao cabo Felipe e soldado Juliano que por volta das 18h30h, esse indivíduo invadiu sua residência, onde mora sozinha, e usando violência levou-a até o quarto, tirou sua roupa, tampou sua boca para que não gritasse, enquanto a estuprava. Depois de 30 minutos, aproximadamente, o individuo fugiu com destino incerto.  Ao ver-se  livre do criminoso a mulher começou a gritar pedindo ajuda e os vizinhos a socorreram até o hospital.

Diante dos fatos, com as características passadas pela vítima,  um trabalho de patrulhamento conjunto entre a Polícia Militar e Civil foi feito por diferentes bairros da cidade com detenção de suspeitos,  porém o autor do crime, considerado hediondo, não foi encontrado. De acordo com o laudo médico, a vítima teve escoriações na face e  "sinais de manipulação anal e vaginal".  A mulher que apresentada muito cansaço e, principalmente abalo psicológico pela violência sofrida, foi medicada e liberada.