PM dá início a Campanha “Movimento Viva Dom Lúcio”

A campanha “Movimento Viva Dom Lucio”, lançada na semana passada em Botucatu e que tem a finalidade de coibir atos de vandalismo, perturbação do sossego público, uso e tráfico de entorpecentes, embriaguês, entre outros, principalmente, no trecho compreendido entre a Praça Rubião Júnior (Catedral) até o Jardim São José, já começou a surtir efeito. Neste final de semana a Polícia Militar (PM) realizou bloqueio fazendo fiscalização de motocicletas e carros, fazendo apreensões e aplicando multas.

O comandante da 1ª Companhia de Polícia Militar, capitão José Semensati Júnior, disse que outras operações serão realizadas, mas lembrou que a situação da avenida não pode ser creditada apenas a polícia. “Nós continuaremos a fazer operações direcionadas na avenida, mas não podemos tirar viaturas de outros bairros da Cidade para atender somente a Avenida Dom Lúcio. A PM fará sua parte intensificando o patrulhamento, juntamente com a Guarda Civil Municipal (GCM)”, adiantou o capitão da PM.

Existem estudos sendo feitos para instalação de câmaras de vídeos para monitorar os trechos onde ocorrem as maiores reclamações como nos cruzamentos com as ruas Campos Salles, Visconde do Rio Branco, Prefeito Tonico de Barros, Quintino Bocaiúva, Coronel José Vitoriano Villas Boas, Major Leônidas Cardoso e José Dal Farra. “Com isso poderemos monitorar o fluxo de pessoas da Avenida Dom Lúcio durante 24 horas. A Câmara de vídeo resolveu os problemas quase na sua totalidade na Praça da Catedral e isso também poderia ser feito ao longo da Avenida Dom Lúcio”, observou o secretário de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos.

Também não está descartada a possibilidade de ser implantado o “toque de recolher”, para que os menores de 18 anos sejam proibidos de transitar pela avenida, desacompanhados, a partir de um determinado horário. Eles só poderiam permanecer na rua no horário noturno até as 23h30. Foi creditado aos adolescentes grande parte dos problemas vividos pelos moradores e comerciantes da Avenida Dom Lúcio.

Sobre este aspecto, o Promotor de Justiça Eduardo Zacharias diz que não se pode tirar a liberdade das pessoas de ir e vir da avenida, mas reconhece a preocupação dos comerciantes e moradores, que tem o direito de descansar ? noite e não conseguem por causa do barulho. “Sou favorável a qualquer medida que seja tomada para coibir atos ilícitos na avenida, principalmente, envolvendo adolescentes. Mas, tudo tem que ser feito dentro dos parâmetros da lei, pois todo cidadão brasileiro tem direitos e deveres”, explicou Zacharias.

Fotos: Valéria Cuter