Mulheres são presas furtando roupas na Rua Amando

Uma ação desencadeada pela Guarda Civil Municipal (GCM), através do Grupo de Ações Táticas Preventivas Especial (GAPE), na noite desta quinta-feira, terminou com a prisão em flagrante de duas mulheres que estavam cometendo furtos de roupas na Loja Kiko´s que foi inaugurada, recentemente, na Rua Amando de Barros, região central da cidade.

Segundo apurou os agentes que estiveram nesta operação, as mulheres entravam na loja, apanhavam peças de roupas e iam até o provador. Lá retiravam o código de segurança, guardavam as peças de roupas nas bolsas e saiam pela porta da frente. Com o código de segurança retirado, o detector não acusava que as roupas estavam sendo retiradas sem passar pelo caixa.

Ocorre que os funcionários da loja já estavam desconfiando das mulheres e passaram a vigiar. Nessa quinta-feira elas entraram na loja, apanharam algumas peças de roupas e foram ao provador. Quando saíram da loja, os funcionários perceberam que as peças de roupas não haviam sido devolvidas e anotaram a placa do carro onde elas estavam. As câmeras de vídeo flagraram as mulheres entrando no provador com as roupas e saindo sem elas.

A Guarda Municipal foi acionada e através de consulta da placa do veículo conseguiram chegar até as mulheres, na Vila Real, que acabaram confessando os crimes, entregando várias peças de roupas que haviam furtado. Elas foram identificadas como Juciara da Silva, 29 e Camila Benecdito, de 23. Ambas encaminhadas ao Plantão Permanente, onde foram enquadradas em crime de flagrante de furto pela delegada Simone Alves Firmino e recolhidas ? Cadeia Pública de Itatinga.

As mulheres haviam abandonado as peças em um terreno baldio, na Rua Rangel Pestana para depois irem buscá-las. Os produtos furtados foram nove peças de roupas femininas avaliadas em, aproximadamente, R$ 800,00. As peças foram recuperadas pelos agentes do GAPE.

De acordo com o comandante da GCM, Paulo Renato, existe a suspeita de que essas mulheres possam ter cometido furtos em outras lojas da cidade. “Com a prisão dessas mulheres outros crimes de furto poderão ser solucionados. Por isso o trabalho investigativo continua”, colocou o comandante da Guarda.